Um policial militar aposentado é suspeito de roubar o corpo da ex-namorada dele de uma cova em um cemitério da cidade de Dois Irmãos do Buriti, no Mato Grosso do Sul. Segundo informações da delegada responsável pelo caso, Nelly Macedo, o sumiço do corpo de Rosilei Potronieli, de 37 anos, foi notado na terça-feira (12), pelo coveiro do local.
O PM, de 57 anos, e a mulher mantiveram um relacionamento, entre idas e vindas, por 20 anos. Conforme a delegada, o suspeito tinha histórico de violência doméstica contra a vítima e, desde 2011, ela vinha registrando boletins de ocorrência contra o homem, inclusive por estupro.
Na noite de quinta (15), um primo da mulher se apresentou à polícia e afirmou ser comparsa do policial. Segundo a delegada, o homem, que disse estar bêbado no momento do crime, afirmou que o PM dizia ter um pacto com Rosilei. Conforme o depoimento, o policial teria tentado enterrar a mulher ao lado da janela do quarto onde mora em uma chácara, mas não conseguiu cavar o buraco. Por conta disso, o corpo foi enterrado em frente à residência.
“O cúmplice relatou em depoimento que, ao pegar o cadáver da mulher no cemitério, o homem a abraçava, beijava e repetia o tempo todo a frase Eu vim te buscar, meu amor’. Ele lavou o corpo, vestiu novamente, colocou um travesseiro sobre a cabeça da vítima, deitou-a no pátio e ficou durante horas ‘conversando’ com a mulher morta. Ele dizia ‘Como te prometi, vou te levar para casa’”, contou a delegada. O policial ainda não se apresentou a polícia, mas ele deve ser indiciado por subtração de cadáver.
A mulher foi morta a facadas no último domingo (10) e um trabalhador rural confessou o crime, que teria acontecido após uma briga em um bar. A vítima tinha perfurações no abdômen, pernas, braços e nádegas.
O corpo de Rosilei foi levado para o Instituto Médico e Odontológico (Imol) da capital e será entregue à família para um novo funeral e enterro.
R10