Mulher enterra marido vivo e espera 12 dias para chamar polícia

marido morto

Uma mulher que teria enterrado o marido vivo em São Gonçalo do Sapucaí, no sul de Minas, foi ouvida pela Polícia Civil esta semana. O corpo do advogado Sílvio Tavares dos Santos, de 57 anos, foi encontrado enterrado no quintal da casa da família no dia 10 de março deste ano.
De acordo com a PC, Maria Augusta Vilela Tavares, de 46 anos, confessou o crime, mas justificou a atitude em razão do estado de saúde em que se encontrava e relatou que o crime aconteceu no dia 28 de fevereiro deste ano e não no dia 2 de março, como teria afirmado inicialmente ao Ministério Público. Ou seja, o homem ficou enterrado por 12 dias.
Um laudo divulgado na semana passada pela Polícia Civil constatou que havia terra no aparelho respiratório do advogado, o que indica que ele ainda estava vivo quando foi enterrado pela mulher e pela filha, Abigail Tamara. O documento aponta ainda que o homem foi estrangulado pelas autoras.
Conforme as investigações, Maria Augusta teria tentado dar uma medicação ao marido, mas ele teria se recusado a tomar. Segundo ela, após o fato, o ex-marido teria agredido-a com uma pá e a filha do casal, que teria presenciado o crime, partiu para cima do pai e o espancou até que ele ficasse desacordado. Em seguida, ela e a mãe enterraram a vítima.
Apesar da confissão do crime, mãe e filha permanecem em liberdade porque não houve flagrante. Elas serão indiciadas por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Abigail Tamara deve ser ouvida nos próximos dias.
DO R7, COM EDIÇÃO DO GI PORTAL

Postar um comentário

0 Comentários