Até a manhã de sábado (26), os Bombeiros confirmavam ao menos 11 pessoas mortas. Foram resgatadas com vida, até o momento, 189 pessoas (veja lista). Os bombeiros afirmam que 299 pessoas estão desaparecidas, entre elas 80 funcionários de empresas que prestam serviços para a Vale. Outras 46 pessoas foram encontradas e encaminhadas para unidades de saúde. Na sexta, a Vale informou que 427 empregados da empresa no local e afirmou que 150 funcionários eram considerados desaparecidos. Entretanto, neste sábado a empresa divulgou uma lista com mais de 400 funcionários com quem ela não conseguiu contato. Segundo autoridades, 86 famílias foram localizadas, e duas delas foram resgatadas.

Helicóptero sobrevoa área do desastre do rompimento da barragem em Brumadinho, neste sábado (26) — Foto: Douglas Magno/AFP

Vale e bombeiros divergem quanto ao número de barragens rompidas. A empresa diz que uma barragem, a de número 1, se rompeu, e uma outra pode ter transbordado ao receber o excesso de material da primeira. Já o Corpo de Bombeiros afirma que foram três barragens, e não apenas uma, que se romperam. Segundo o tenente Pedro Aihara, porta-voz dos Bombeiros, o rompimento da primeira barragem acabou sobrecarregando as outras duas, que romperam em seguida. A chamada Barragem 1, epicentro do acidente, foi construída em 1976 e não receberia material há pelo menos três anos. Segundo o site da Vale, o beneficiamento do minério na unidade é feito a seco.


Fonte: https://noticias.uol.com.br/cotidiano