Imagem de arquivo da plenária e platéia da Câmara. 


Os bastidores da política caxiense voltou a ser badalado nas principais rodas de bate papo da cidade e principalmente nas redes sociais, cujo o tema em questão é a eleição antecipada da presidência da Câmara Municipal de Caxias, situação essa que tem gerado suspeitas por parte de quem conhece o regimento interno da casa legislativa, onde a eleição estaria prevista apenas para a última semana de dezembro como era de praxe, pois dia 22 de dezembro encerra o calendário de reuniões ou sessões.

O assunto foi levantado pelo Ex-Deputado Federal e Ex-Prefeito de Caxias Paulo Marinho em sua página oficial no facebook e logo em seguida em seu programa semanal Mesa Redonda na Tv Band Caxias, exibido ao vivo no último sábado(3), onde PM externou várias denúncias que segundo Paulo, irá dá entrada a uma representação como advogado que é, no Ministério Público, para que a antecipação dessa eleição seja cancelada, sendo que o ex-prefeito reforçou em seu programa televisivo, que os vereadores possivelmente teriam assinado uma tal ata sem que houvesse a presença de todos os vereadores e sem sessão ordinária onde poderia caracterizar falsificação de documento, podendo assim, Caxias ter vários vereadores presos caso se consuma tal indicação do apresentador de TV, mas vai depender da visão da justiça, caso ela seja acionada, porque a votação da mudança da lei orgânica era pra ser em dois turnos de votação com intervalo de dez dias de uma para a outra, pois talvez pode ter sido também alterada segundo uma fonte.

O povo tá de olho. 


Em virtude de toda essa situação, se realmente essa eleição "antecipada", caso ocorra de forma legal, tem o outro lado da moeda de toda essa história, de possíveis traições tanto vindo do executivo, como do próprio legislativo na disputa pela presidência acirrada entre Neto do Sindicato e Catulé.

VEJA EM VÍDEO MAIS DETALHES DO CASO COM A DENÚNCIA DO PRÓPRIO CANDIDATO À PRESIDÊNCIA DA CÂMARA NETO DO SINDICATO QUE É DA BASE ALIADA DO PREFEITO FÁBIO GENTIL:




Outras fontes fidedignas assoviaram ainda ao titular do blog, que Neto do Sindicato teria o apoio para ser eleito à assumir o próximo biênio rumo a presidência com o apoio de 10 vereadores que teriam dado a palavra a serem fiéis sendo eles: Moisés, Darlan, Paulo Simão, Gladston, Gentil, Ramos, Magno, Durval e décimo era o próprio Neto. Mas, as possíveis traições poderão ser confirmadas ou não nesta eleição de segunda-feira(5), às 18hs na casa do povo, pois dos nove edis, seis vereadores teriam abandonado neto para seguir com Catulé a mando do "chefão" na última terça-feira(30), ficando firme com Neto mantendo lealdade apenas Moisés, o próprio Neto, Magno e Gentil, então, com apenas quatro vereadores, não se pode fazer um bloco na disputa, ou seja, até agora só pode existir uma chapa e Catulé seria reeleito e um suposto risco do "chefão" ser "impeachmado" seria descartado, afinal Catulé não deixaria barato caso não seja reeleito e fosse traído pelo tal "chefão" como se cogitava em outras situações, mas por outro lado deixaria feridas incuráveis ao candidato derrotado e traído pelo legislativo e também executivo, pela influência que a última opção tem nesse tipo de decisão.

O programa Mesa Redonda exibiu casos de vereadores presos em outro estado com situações parecidas. 


Outra fonte de dentro da casa, informou que teria sido proposto depois de uma coalizão da chapa, tendo em vista a maioria de 15 contra 4, a troco de quê ninguém sabe, ou se sabe mas deixamos para o leitor tirar suas próprias conclusões. O certo é que ambas as leis dizem quê: A eleição para a renovação da mesa diretora deve ser realizada sempre no último dia útil da sessão legislativa do 1º biênio.

Para finalizar toda essa bagunça entre os legisladores com essa disputa, tudo pode terminar em "pizza", pois muita gente duvida que Neto, Moisés, Magno e Gentil possam romper os laços harmoniosos com o possível reeleito em uma chapa única com a vitória já prevista do veterano Catulé, porém, nada que uma "valorizada" aos que ficaram no barco sozinho a deriva, quando os traidores pularam da enchente e esses últimos citados serem agraciados à compor a mesa diretora no novo biênio.

Repercute na internet o caso. 


Como todos já previam, é assim que funciona o velho e atual sistema bruto da política de Caxias do jeito "que todos quer". ou do jeito que o "chefão do palácio quer"!

Fonte e Redação: Jornalista Análio Júnior - DRT/MTE: 0001413/MA