As mentiras do prefeito de Caxias estão sendo reveladas pelos vereadores na Câmara Municipal de Caxias. 


Foi realizada na noite desta quarta-feira(21), mais uma sessão ordinária na Câmara Municipal de Caxias que contou com a presença da maioria dos vereadores. O pequeno expediente foi iniciado com o uso da palavra da vereadora Thays Coutinho que aproveitou o ensejo para justificar o seu voto à reeleição do presidente Catulé, que mesmo sendo da base do governo, Thays reafirmou que continua sendo oposição ao prefeito Fábio Gentil por não compactuar com sua administração desastrosa em vários setores.

Em seguida o vereador Edílson Martins citou a situação caótica em que se encontra o munício de Caxias que de acordo com ele estaria faltando medicamentos no CapSad, escassez de remédios nos postos de saúde e na UPA, da situação caótica da educação da cidade. Edílson trouxe a tona informando que a gestão Gentil chegou ao ponto onde os próprios professores contratados e a diretoria tiveram que fazer uma vaquinha para comprar gás para fazer merenda escolar nas creches e escolas do município.



"A situação é lamentável em nossa cidade que não atrai empresas e consequentemente não gera empregos, muitos estão indo embora de Caxias, pois o que tem aqui é muita perseguição", finalizou Edílson Martins.

Após as denúncias de ambos, Durval Jr falou que respeita o posicionamento dos oposicionistas mas frisou que o governo teve conquistas significativas também na educação, Mário Assunção apesar de "puxar sardinha" em a favor do prefeito, concordou que o município estaria com a falta do gás por conta segundo ele ocasionado por uma rescisão de contrato com a fornecedora.

O vereador Darlan elogiou o prefeito dando referência aos jogos recentes em competições regionais com sede em Caxias e tinha como referência Análio Júnior enquanto Coordenador de Juventude em seu governo, mas não resistiu e confirmou em alto e bom som, que as práticas esportivas eram boas mesmo nos tempos de Dr.Humberto(In Memorian), e Léo Coutinho.



Já o líder do governo Gentil, o Vereador Sargento Moisés fez uma defesa sucinta do gestor municipal, falando por "A + B" que o "cabeludo mesmo sem condições referente a repasses que são burocráticos tem feito o seu dever de casa mas concordou com o atraso dos pagamentos dos caçambeiros e fornecedores mas que até hoje não chegou no palácio da cidade nenhuma cobrança judicial ou de pressão junto ao executivo, só que o líder "gentil" esquece que os donos de empresas não são nem doidos de perderem "o que já ganharam". 

E nesse clima entre governo e oposição, o que se ver são parlamentares tentando defender o indefensável, quando um prefeito ao assumir o posto maior do município que sua obrigação era ser o melhor prefeito da cidade, a população caxiense externa é outra realidade, principalmente nas redes sociais.

Em instantes mais informações...

Fonte e redação: Jornalista Análio Júnior - DRT/MTE: 0001413/MA