(Crédito: Alexandre Meneghini/Reuters)
Um avião da companhia aérea Cubana, um Boeing 737, com quase 40 anos de uso, caiu momentos depois da decolagem no Aeroporto Internacional José Martí, em Havana, no começo da tarde desta sexta-feira (18). Ao chegar ao local de acidente, o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, havia falado em 113 pessoas a bordo da aeronave.   jornal estatal, Granma, calcula 105 passageiros. Com exceção de três mulheres resgatadas com vida, em estado crítico, todos morreram, diz o jornal.
Ainda não foi divulgada lista de pessoas no voo, mas o periódico estatal diz que são todos estrangeiros. A tripulação era formada por cinco mexicanos. Também segundo o jornal, entre os passageiros havia quatro crianças,  sendo um bebê de dois anos. Alguns familiares já chegaram ao local do acidente, segundo a publicação. 
A aeronave, seguia para a Holguín, no leste do país. O avião era alugado de uma empresa mexicana pela companhia aérea estatal cubana. O voo, identificado como DMJ 0972, teria cerca de uma hora de duração.
Jornalistas da France Presse que estão a cerca de 100 metros do local da queda relataram que o avião está destruído e em chamas, sobre um local próximo ao aeroporto e próximo a uma plantação.
O jornal Granma, publicação oficial do Partido Comunista noticiou que três pessoas sobreviveram ao acidente e disse que a tripulação da aeronave era comporta por estrangeiros.
 (Crédito: Adalberto ROQUE / AFP)
Três pessoas sobreviveram ao acidente, segundo informou a imprensa oficial, mas ainda não há número oficial sobre número de mortos.
A Boeing, fabricante do avião acidentado, afirmou que está ciente do ocorrido em Cuba e monitorando a situação de perto.
O acidente ocorreu próximo ao terminal 1 do aeroporto, ainda durante a manhã no horário local.
O avião é um Boeing 737-200, segundo o jornal oficial Granma que disse ainda que os três passageiros sobreviventes já estão hospitalizado, em estado crítico.
Os trabalhos de resgate continuam no local do acidente.
Fonte: G1