Funcionário abastece carro em posto de São Paulo© REUTERS/Paulo Whitaker Funcionário abastece carro em posto de São Paulo
A Petrobrás reduzirá os preços de diesel e gasolina nas refinarias a partir de quarta-feira, comunicou a estatal nesta terça-feira, em meio a discussões dentro do governo sobre a alta dos preços dos combustíveis e protestos de caminhoneiros.
Segundo a petroleira, o diesel será reduzido em 1,54%, para R$ 2,3351 por litro, no primeiro corte desde 12 de maio. Já a gasolina diminuirá em 2,08%, para R$ 2,0433 por litro, a primeira redução desde 3 de maio.
O anúncio ocorre após caminhoneiros realizarem na segunda-feira protestos em vários Estados contra a alta dos combustíveis. Nesta terça-feira, caminhoneiros voltar a bloquear rodovias e o porto de Santos.
Em julho do ano passado, a Petrobrás adotou uma nova política de preços que prevê alterações quase que diárias nas cotações dos combustíveis, em linha com o mercado internacional.
De lá para cá, diesel e gasolina nas refinarias acumulam alta de quase 50%.
O presidente da Petrobrás, Pedro Parente, participou de uma reunião mais cedo com os ministros da Fazenda, Eduardo Guardia, e de Minas e Energia, Moreira Franco, para tratar da alta dos combustíveis.
Ele garantiu a jornalistas, contudo, que não há no governo qualquer intenção de mudança nessa política de preços da petroleira.
A Associação Brasileira de Caminhoneiros (Abcam), que organiza as manifestações, cobra do governo reduzir a zero a carga tributária sobre o diesel. A greve acontece enquanto entidades que representam os donos de postos também apelam por mudanças tributárias, afirmando que a política de preços da Petrobras está causando prejuízos ao setor.
A última vez que os caminhoneiros promoveram protestos em âmbito nacional foi no início de 2015, quando exigiram redução de custos com combustível, pedágios e tabelamento de fretes.
(Por José Roberto Gomes)