Protestos de caminhoneiros chega ao sexto dia no Maranhão. (Foto: Diego Chaves/ O Estado)

Segundo o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (Sindcombustíveis-MA), cerca de 80% a 90% dos postos de combustíveis em São Luís já secaram. De acordo com o presidente da entidade, João Rolim, a maioria dos postos da capital trabalham com estoque de dois a três dias, em média e caso não haja normalização do abastecimento até este sábado (26) todos os postos já estarão secos.

Vários postos de São Luís fecharam na manhã desta sexta (25) por falta de combustível (Foto: Reprodução/TV Mirante) Vários postos de São Luís fecharam na manhã desta sexta (25) por falta de combustível (Foto: Reprodução/TV Mirante)
Vários postos de São Luís fecharam na manhã desta sexta (25) por falta de combustível (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Na noite dessa sexta-feira (25), dez caminhões transportando combustível, saíram do Porto do Itaqui escoltados pela Polícia Militar. Destes dez, seis foram para serviços essenciais, como transporte coletivo, viaturas da polícia e ambulâncias. Enquanto os outros quatro foram reabastecer postos de combustíveis.

Neste sábado (26) ruas e avenidas de São Luís foram tomadas por motoristas a procura de combustível nos postos da cidade. Filas se formaram em vários trechos. Como foi o caso da Avenida dos Holandeses, onde condutores formaram longas fileiras com o intuito de garantir combustível para os seus veículos em um posto situado na via.

Motoristas enfrentam longas filas para garantir combustível em posto sistuado na Avenida dos Holandeses em São Luís (Foto: Zeca Soares/G1) Motoristas enfrentam longas filas para garantir combustível em posto sistuado na Avenida dos Holandeses em São Luís (Foto: Zeca Soares/G1)
Motoristas enfrentam longas filas para garantir combustível em posto sistuado na Avenida dos Holandeses em São Luís (Foto: Zeca Soares/G1)
Transporte público
Por falta do combustível, o Sindicado das Empresas de Transporte de São Luís (SET) informou que ainda consegue disponibilizar aos usuários do transporte público da capital 70% da frota de ônibus até segunda (28), caso a paralisação dos caminhoneiros continue. De acordo com o SET, a medida visa garantir um atendimento mínimo na cidade por conta da falta de combustível.

Ônibus ainda irão rodar por São Luís até segunda (28), de acordo com a SET, mesmo com a paralisação dos caminhoneiros (Foto: Reprodução/TV Mirante) Ônibus ainda irão rodar por São Luís até segunda (28), de acordo com a SET, mesmo com a paralisação dos caminhoneiros (Foto: Reprodução/TV Mirante)
Ônibus ainda irão rodar por São Luís até segunda (28), de acordo com a SET, mesmo com a paralisação dos caminhoneiros (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Alimentos
O protesto dos caminhoneiros também já gerou reflexos no setor alimentício. De acordo com o presidente da Ceasa, Milton Gadelha, os produtos considerados essenciais aos consumidores como tomate, cebola e batata já começam a faltar nas prateleiras por falta de abastecimento. Em vários supermercados da capital, a população já não consegue mais comprar o que precisa. A Associação Maranhense de Supermercados (Amasp) já considera a possibilidade de racionar mercadorias para os clientes.

Protesto dos caminhoneiros também já gerou reflexos no setor alimentício (Foto: Diego Chaves/O Estado) Protesto dos caminhoneiros também já gerou reflexos no setor alimentício (Foto: Diego Chaves/O Estado)
Protesto dos caminhoneiros também já gerou reflexos no setor alimentício (Foto: Diego Chaves/O Estado)
Rodovias com bloqueios
São Luís - kms 2, 5 e 6 da BR-135
Bacabeira - km 46 da BR-135
Caxias - kms 544, 535 e 550 da BR-316
Timon - km 610 da BR-316
Imperatriz - km 246 da BR-010
Cidelândia - km 299,5 da BR-010
Governador Edson Lobão - km 225 da BR-010
Açailândia - km 663 da BR-222
Estreito - km 131 da BR-010
Grajaú - km 413 da BR-226
Balsas - kms 396 e 406 da BR-230
São Domingos do Azeitão - km 216 da BR-230
Aeroporto de São Luís
De acordo com Infraero, o Aerporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado opera normalmente e o nível de combustível é estável no momento. Nessa sexta-feira, um voo da Azul que vinha de Recife para São Luís chegou a ser cancelado por falta de combustível no aeroporto pernambucano.


Também nessa sexta também houve atraso em quatro voos no Aeroporto de São Luís. Já no aeroporto de Imperatriz a Infraero informou o cancelamento do voo LA3553, da Latam, com sairia para Brasília às 16h50.

A Infraero recomenda que os passageiros busquem informações sobre a situação cada voo junto com a companhia aérea.

Segurança
A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) informou que o policiamento feito pela Polícia Militar e trabalhos da Polícia Civil não terão interrupção por conta da falta de combustível. A SSP-MA explicou que caso haja prolongamento dos protestos já elaborou um plano logístico para o abastecimento das viaturas, garantindo que a segurança não seja prejudicados.

Saúde
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que, até o momento a greve dos caminhoneiros não prejudicou o abastecimento das unidades da rede estadual.

Segundo a Prefeitura de São Luís não houve qualquer interrupção de atendimentos nos equipamentos municipais de rede pública de saúde, incluindo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que segue atendendo as demandas na capital.

Serviços
Segundo a Prefeitura de São Luís o transbordo para a Central de Tratamento de Resíduos Titara, no município de Rosário na BR-135, segue lento por conta do bloqueio em pontos da rodovia. Ainda segundo a prefeitura, a limpeza pública, serviços da capina, roçagem, varrição, serviços de iluminação pública, fiscalização de trânsito, Guarda Municipal, Defesa Civil e coleta domiciliar estão sendo executados normalmente.

Educação
Por meio de nota, a Prefeitura de São Luís informou que as aulas na rede municipal estão acontecendo normalmente, assim como o transporte escolar dos estudantes. Não há previsão de paralisação das aulas por conta da greve.

G1 Ma