Jungann e Barreto durante entrevista coletiva em Brasília.
Uma megaoperação realizada nesta quinta-feira e coordenada pelo Governo federal prendeu 251 pessoas suspeitas de pedofilia e divulgação de pornografia infantil em todo o país. Desde a manhã são cumpridos 579 mandados de busca e apreensão contra centenas de pessoas suspeitas de armazenarem e divulgarem imagens e vídeos de crianças e adolescentes sendo abusados sexualmente. Segundo o Ministério da Segurança Pública, essa é a maior operação contra a pedofilia desenvolvida em um único dia no mundo.
Os presos, segundo o delegado Alessandro Barreto, coordenador do laboratório de inteligência cibernética do ministério, eram “pessoas acima de qualquer suspeita”. Foram detidos em flagrante estudantes, aposentados, autônomos, advogados, educadores e profissionais da área de saúde. O perfil detalhado dos detidos ainda será levantado ao longo do dia, quando forem concluídos todos os mandados expedidos pelas Justiças de 24 Estados e do Distrito Federal. “Localizamos pessoas que estavam armazenando uma quantia considerável de material criminoso. O decorrer das investigações vai apontar se havia uma articulação entre elas, se havia algum elo entre um e outro suspeito”, explicou o delegado Barreto.
A operação, batizada de Luz na Infância 2, aprendeu mais de um milhão de imagens com pornografia infantil. “São imagens fortes, com todo tipo de abuso contra crianças e adolescentes. Às vezes peço para os policiais nem me mostrarem, tamanha repulsa que causam”, afirmou o delegado Barreto. A primeira fase dessa operação ocorreu em outubro do ano passado.
Msn