Mais uma vez a oposição ao governo Fábio Gentil levou para o plenário da Câmara de Vereadores várias acusações sobre a administração municipal e teve que ouvir ponto a ponto as respostas coerentes e fundamentadas do Líder do Governo, Vereador Sargento Moisés.

Durante a sessão, como líder da bancada governista, Sargento Moisés pediu a palavra para barrar dois requerimentos da Vereadora Thais Coutinho (Líder da Oposição) que solicitavam uma documentação de competência da fiscalização e emissão de órgãos como CREA e Corpo de Bombeiros, alegando que as construções do Mirante da Balaiada e da Praça da Chapada estavam em risco. Saegento Moisés, argumentou que, apesar da Câmara Municipal ser um órgão de controle externo, a outros órgãos de fiscalização e que cabe o dever de averiguar determinados aspectos estruturais e técnicos, não podendo abrir precedentes para esse tipo de cobrança pelo poder legislativo, pois o papel do Vereador, enquanto fiacalizador do executivo, está no acompanhamento das ações e a verificar se os recursos estão sendo empregados para aquilo que são destinados e não se prende a meros documentos inerentes a outros órgãos, apesar de importantes no contexto.

Edilson Martins falou que haveria atrasos no pagamento de caçambeiros, porém, Sargento Moisés disse que não era verdade, pois a prefeitura tem cumprido à risca os seus contratos com a empresas terceirizadas e que as mesmas é que devem repassar os valores aos seus funcionários, e caso houvesse atrasos com as terceirizadas, certamente as mesmas já teriam procurado os meios administrativos e jurídicos para resolver, o que não aconteceu.

Thais Coutinho voltou a falar de pagamento em dinheiro a funcionários do SAMU para viagens e que é pagamento indevido. O Líder do Governo reforçou o que seu colega Mário Assunção já havia explicado na mesma sessão, e que o custeio de viagens não agendadas podem ser feito por meio de adiantamento ou de diárias, sempre que a ocasião necessitar, e o que não pode é deixar de fazer o atendimento. É dinheiro que sai de forma lícita e com comprovação da sua destinação, diferente de governos passados que, a exemplo dos Agentes de Trânsito, recebiam gratificações em dinheiro sem se saber a procedência.

Thais Coutinho ainda falou que haveria tido diminuição do salário de médicos no município. Mais uma vez Sargento Moisés afirmou que no governo passado existia uma disparidade no pagamento de alguns médicos que eram beneficiados com o pagamento de plantões acima dos demais e isso configurava falta de isonomia salarial, sendo que o Prefeito Fábio Gentil acabou com esse tipo de apadrinhamento irregular, onde uns recebiam mais que os outros pelo mesmo serviço e que hoje o plantão médico de Caxias é o de mais alto valor da região. Disse ainda que a prefeitura paga os salários com total isenção e responsabilidade.

Sobre as condições dos postos de saúde, o parlamentar voltou a dizer que Fábio Gentil recebeu todos os postos com problemas estruturais e sucateados, inclusive com falta de instrumentos que sumiram das unidades, e que somente agora já recuperou 14 postos de saúde e continua a fazer a reconstrução do que foi abandonado.

Dentre outros assuntos, Sargento Moisés encerrou seu pronunciamento na tribuna dizendo que Fábio Gentil enfrenta todas as dificuldades encontradas na administração com coragem, determinação, ousadia e competência.