PlayWebTV

"CORDA BAMBA" - Associação com Eduardo Braide pode complicar reeleição de Wellington

Associação com Eduardo Braide pode complicar reeleição de Wellington
POLÍTICA

Nas eleições de 2016, deputado do PMN desqualificou a atuação parlamentar do então progressista, que destacou investigações da PF contra o adversário relacionadas à Máfia de Anajatuba




O deputado estadual Wellington do Curso, que deixou o PP em razão dos ataques sofridos e da postura anticorrupção adotada contra o governo Flávio Dino, do PCdoB, aguarda até as últimas horas da janela partidária para decidir em qual legenda se filiar. Caso se confirme rumores de que ele se filiará ao PSC, o parlamentar pode ter a reeleição complicada, justamente pela mesma razão que teria se permanecesse na legenda progressista: perda de discurso.
Segundo declarações recentes da deputada federal Luana Alves, que disputará a reeleição para a Câmara pelo PSC, o partido caminha para fechar com o deputado Eduardo Braide, do PMN, na disputa pelo Palácio dos Leões.
Assim como faz Flávio Dino, que tenta desmantelar Wellington até por meio de insinuações relacionadas à facções criminosas, nas eleições municipais de 2016, durante um debate eleitoral, Braide foi o responsável por desconstruir a imagem que o eleitorado ludovicense nutria por Wellington, questionando a efetividade de suas ações no Palácio Manuel Beckman, além de sua independência parlamentar.
Também nas eleições de 2016, Wellington foi o primeiro candidato a levar para o pleito as suspeitas de corrupção que pesam contra Braide no caso relacionado à famigerada Máfia de Anajatuba, até mesmo citando as investigações da Polícia Federal sobre o caso — sendo, inclusive, acusado por Braide de haver financiado blogs para atacá-lo.
Logo, se não pode permanecer com Dino para não ter o discurso anticorrupção esvaziado durante a campanha eleitoral, e nem ser perfilado com sintomas de síndrome de Estocolmo, pelos mesmos motivos, Wellington também não deve apoiar Braide para o governo.
Não ser adversário de Eduardo Braide na Assembleia Legislativa é uma ação correta, já que espera-se dos integrantes do Poder Legislativo que trabalhem em conjunto para a aprovação de leis e na fiscalização da coisa pública. Contudo, se associar ao deputado do PMN na disputa pelos Leões seria o mesmo ou até pior do que permanecer com Flávio Dino. Seria suicídio político.
Fonte e Redação: Atual7

0 comentários