Vítima foi atingida durante ataque um carro-forte, entre Altos e Campo Maior (Crédito: Reprodução )
Vítima foi atingida durante ataque um carro-forte, entre Altos e Campo Maior (Crédito: Reprodução )

O segurança Carlos Henrique, da empresa de segurança privada Prosegur, baleado na cabeça no dia 19 de fevereiro, durante ataque e explosão do carro-forte da empresa na rodovia BR-343, no trecho que liga Altos a Campo Maior, teve morte cerebral constatada no  último sábado (03), de acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes de Valores e Similares (Sindvalores).
Carlos Henrique, apesar da morte cerebral, continua internado na Unidade de Terapia Intensiva de hospital particular de Teresina. O segurança estava com outros três seguranças, quando o assalto ocorreu na rodovia. Os assaltantes atiraram contra o carro-forte explodiram o veículo.
O carro-forte seguia de Piripiri para Teresina e transportava mais de R$ 1,2 milhão, que foram roubados por quatro assaltantes mascarados e fortemente armados.
No mesmo dia, um outro carro-forte da empresa de segurança privada Cet-Seg, também foi atacado e explodido, deixando dois seguranças feridos, na rodovia BR-334, no povoado Estaca Zero, entre os municípios Água Branca e Alagoinha.
O secretário estadual de Segurança Pública, Fábio Abreu, informou que os assaltantes que participaram da explosão e roubo do dinheiros dos carros-fortes Prosegur e Cet-Seg foram identificados, fazem parte da mesma quadrilha e podem ser presos a qualquer momento.
Meio Norte