Deputado estadual é alvo de investigações da polícia por agressão física contra esposa. Procuradoria da Mulher aguarda formalização no Ministério Público para abrir processo na comissão de ética.


A Procuradoria da Mulher na Assembleia Legislativa do Maranhão informou que aguarda a formalização da denúncia contra o deputado estadual Cabo Campos (DEM) no Ministério Público do Maranhão para pedir a abertura de um processo contra ele na comissão de ética.

Cabo Campos está sendo investigando por agressão física a sua esposa e a Justiça determinou medidas protetivas para a mulher do deputado após ela ter o denunciado por agressão.


No boletim de ocorrência registrado na Delegacia Especial da Mulher, no dia 4 de fevereiro, Maria José Campos, esposa do deputado há 26 anos, relatou que depois de uma discussão foi atingida com golpes na cabeça e na boca, na presença de dois filhos. O caso foi encaminhado ao Tribunal de Justiça do Maranhão por que o político tem prerrogativa de foro.

A partir da decisão do TJ-MA assinada pelo desembargador José Luiz Almeida, Cabo Campos está proibido de entrar em casa desde o dia 9 de fevereiro. Também foram expedidas outras medidas protetivas em favor da esposa dele. O parlamentar está proibido de chegar a menos de 200 metros dela e tentar qualquer tipo de comunicação.

A mulher do deputado não quis gravar entrevista, mas, em depoimento, afirmou que vinha sofrendo constantes agressões verbais e constrangimentos.

Esposa de Cabo Campos tem medida protetiva para garantir a distância do deputado após denúncia de agressão (Foto: Reprodução/TV Mirante)

A Procuradoria da Mulher na Assembleia Legislativa do Maranhão emitiu nota de esclarecimento e repúdio na qual afirma que, uma vez formalizada a denúncia contra o deputado no Ministério Público do Maranhão, vai pedir a abertura de processo disciplinar na comissão de ética da casa por quebra de decoro parlamentar.

Na nota, a procuradora e deputada Valéria Macedo afirma ainda que a prática de violência doméstica por um parlamentar constitui quebra de decoro suficiente para ter um mandato cassado.

O deputado Cabo Campos não quis se pronunciar.

Fonte: G1 Ma