Antes conhecida como maternidade da morte, a Maternidade Carmosina Coutinho hoje celebra a vida. Francinete da Silva, Glena Camila Costa e Ilária Alve, jovens mães que deram à luz na maternidade, falam como foram acolhidas.
Maternidade Carmosina Coutinho em Caxias-MA.
“Fui atendida há um mês e nove dias. Fui bem acolhida, pra mim foi tudo bem, eu passei uns três dias aqui com o Enzo Gabriel”, disse Francinete da Silva, residente no povoado Centro das Cabeceiras, 3º Distrito.
“Com o nascimento do bebê, nasce também uma mãe, a gente vai aprendendo com o tempo. Essa é minha primeira bebê, é maravilhoso. A minha bebê teve que ficar na UTI e berçário, mas sempre a equipe médica atendeu muito bem, então o atendimento foi muito bom comigo e minha bebê”, ressaltou Glena Camila Costa, que reside no bairro São Francisco.
“Para mim foi ótimo, quando nasce um filho, nasce uma mãe, é uma sensação única ser mãe, todo mundo tem que ser mãe pra sentir. Aqui foi muito tranquilo para mim, fui bem atendida, no terceiro dia fui embora. Mas o Arthur, meu filho, sempre muito saudável, me acolheram muito bem”, disse   Ilária Alves, do bairro Cangalheiro.
Em 2017, 3.469 crianças nasceram na Maternidade Carmosina Coutinho, sendo que 65% das pacientes são caxienses. A Maternidade é referência para 06 municípios da região de saúde de Caxias e para mais de outros 50 municípios da Macrorregião.
Depois de um ano de muito trabalho, mudanças de posturas, protocolos e capacitações, em janeiro de 2018 o maior dos resultados, Caxias registrou Zero Mortes maternas e neonatais, ou seja, nenhuma morte de mães ou crianças foi registrada em janeiro. Para a diretora administrativa, a vitória é do trabalho em equipe.
“Realmente não tivemos nenhum óbito neonatal no mês de janeiro de pacientes residentes em Caxias. Isso só mostra o nosso trabalho que realizamos durante o ano de 2017, onde nós fazemos parte de um projeto de reestruturação dos hospitais públicos a nível de Brasil, onde nós montamos novos protocolos, normas, rotinas, mudamos nossa forma de trabalhar. Estamos dando mais atenção, acolhimento e humanização às nossas gestantes, avaliando melhor essas mulheres, fazendo a transferência das crianças que vêm de fora, dando um transporte seguro para as transferências. Nós também nos reunimos com o pessoal do alto risco e Planificação do CEAMI e Atenção Primária, fazendo com que tenhamos esses resultados de um trabalho árduo com toda a equipe da saúde. Agora estamos colhendo esses frutos! É uma vitória para a Prefeitura de Caxias, para a Secretaria de Saúde”, explica Márcia Sousa, diretora administrativa da Maternidade Carmosina Coutinho.
A Maternidade Carmosina Coutinho possui 75 leitos, sendo 10 de UTI, e realiza o trabalho de média e alta complexidade.  A secretária municipal de Saúde, Socorro Melo, lembra que o resultado alcançado com a reestruturação da maternidade foi fruto de uma grande articulação com órgãos de saúde.
“É com muita alegria que a gente comemora a mortalidade materna e infantil zero em Caxias.  Caxias, que foi conhecida mundialmente como maternidade da morte, com um dos maiores índices do Brasil em mortalidade infantil. Quando nós assumimos a gestão, tínhamos esse desafio. Não poupamos esforços, tivemos o apoio 100% do prefeito Fábio Gentil, conseguimos reestruturar toda a Maternidade, em termos de mudanças de profissionais, condutas e estrutura. Contamos com o apoio da OPAS, CONASS, da Organização Mundial de Saúde, de instituições muito sérias, como o Hospital Alemão Círio Libanês. Nós somos o primeiro município do país a chegar com a Planificação na Atenção Terciária. Conseguimos fazer as mudanças nas atitudes dos nossos profissionais, motivá-los instituindo protocolos e seguindo-os. Então, graças a todo um conjunto de esforços de todos os profissionais de toda a rede municipal de saúde, graças a isso, chegamos a mortalidade materna e infantil zero”, disse Socorro Melo, secretária municipal de Saúde.
FONTE: DIRETO DA REDAÇÃO DA ASCOM/CX
Confira mais fotos: