Dois homens foram presos na noite de domingo (25) em Timon, no Maranhão, cidade vizinha a Teresina, em um carro equipado com uma placa metálica, de forma semelhante aos veículos usados em assaltos a instituições bancárias. Quatro ataques a carros-fortes com o equipamento foram registrados na última semana no Piauí, Ceará e Maranhão.

A prisão aconteceu por volta das 20h, quando a PM de Timon recebeu a informação de que homens dentro de uma picape branca estariam efetuando disparos de arma de fogo pelas ruas da cidade. Uma viatura da Força Tática conseguiu localizar o veículo suspeito. O motorista desobedeceu à ordem de parada e só parou quando os pneus do carro foram atingidos por tiros disparados pelos policiais.

Além da placa instalada, foi encontrada no carro outra placa metálica e materiais para corte do metal, como serras e furadeiras, e quase R$ 4 mil em dinheiro.

A placa metálica foi instalada na janela traseira da picape, e seria usada, segundo a PM, para proteger os ocupantes do veículo de tiros vindos de trás num caso de serem perseguidos por policiais. A placa tinha três aberturas por onde os ocupantes poderiam passar suas próprias armas e trocar tiros com os perseguidores sem o risco de serem baleados.

Os dois homens que estavam no veículo foram presos e levados para Central de Flagrantes de Timon. A identidade dos dois não foi confirmada, pois eles apresentaram documentos falsos. O veículo apreendido tinha uma placa clonada de um carro de Teresina de mesmo modelo.

Dentro do veículo a Polícia encontrou cerca de R$ 4 mil reais e o material que seria usado no corte da placa metálica: serra elétrica, furadeira, kits de ferramentas, discos abrasivos, discos de corte, mangueira de gás e pares de luvas. Nenhuma arma de fogo foi encontrada com os suspeitos.

Materiais usados para cortar a placa metálica. (Foto: Divulgação/ PM MA)

Após a prisão dos dois homens, a Polícia Militar segue em diligências para localizar outros suspeitos de integrar quadrilhas especializadas em assaltos a instituições bancárias. Policiais do Greco (Grupo de Repressão ao Crime Organizado) da Polícia Civil do Piauí estão dando apoio às diligências.

G1 Ma