A situação de algumas escolas ainda surpreende que anda pela zona rural de Codó.Ontem, 9, estivemos na região de Santana Velha do Pedro Doca, rumando para Pipiripau dos Serra.
No caminho de 34 kms nos chamou a atenção o casebre tímido sobre a parte mais alta de um terreiro. O silêncio que imperava sobre uma pequena quantidade de carteiras nos dizia que era período de férias, mas, ao mesmo tempo, gritava sobre suas péssimas condições.
Ela foi construída por um morador que recebeu R$ 600,00 da Prefeitura de Codó em 2015 pelo serviço de paredes de barro, talo de babaçu e cipó.
A cobertura foi de telha, mas hoje a madeira ameaça quem quer que venha a ficar debaixo da escolinha. Tudo por causa de cupins que estão por toda a parte.
Os moradores querem uma escola de alvenaria como já foi prometido, ainda no governo de Zito Rolim, e temem que seus filhos sejam enviados para a longínqua Santa Velha onde há uma escola melhor estruturada.
NA CAPELA
Em Pipiripau do Serra a escolinha funcionou em 2017 na capela do povoado reformada por um pai de aluno que não quis ver as crianças pararem de estudar.
Atualmente, os alunos estão ameaçados de serem jogados para a escola-polo de Viração, a 9kms de distância.Isso dificulta a vida dos lavradores que terão que ir, na opinião deles, todo dia, manhã e tarde, deixar e buscar os filhos para a aula.
Fonte: Blog do Acelio