O anúncio da construção de 25 cisternas em escolas municipais com mais de 50 alunos na zona rural de Caxias foi realizado nessa terça-feira (09), na sede da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (SEMECT).
O Programa de Cisternas do governo federal para escolas está chegando a Caxias através da Secretaria de Agricultura Familiar do Governo do Estado, tendo como órgão executor o Instituto Nacional de Administração, Projetos e Estudos Municipais (INAPEM), que tem sede em Imperatriz e escritório em São Luís-MA.
Estiveram presentes no lançamento do Programa a secretária da SEMECT, Ana Célia Damasceno; representantes dos sindicatos dos trabalhadores rurais na Agricultura Familiar (SINTRAF); Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Pesca; AGERP e Assessoria de Educação Ambiental.
Ao todo serão investidos em Caxias aproximadamente R$ 325 mil reais na construção das cisternas. A ideia é aproveitar a mão de obra local. A cisterna que será instalada na escola selecionada terá capacidade de armazenar 52 mil litros que, além de abastecer a escola, pode ajudar as famílias da comunidade onde estiver, caso os moradores necessitem de água. Para a secretária Ana Célia Damasceno, o Programa vai contribuir com o processo educacional, pois além de ajudar no abastecimento de água nas escolas, também gera consciência ambiental.
“As cisternas representam a valorização das pessoas, e irão servir para guardamos água para os momentos em que não temos. Vamos priorizar os povoados mais necessitados. O instituto tem a meta de colocar 25 cisternas em escolas que tenham no mínimo 50 alunos. Porém, nós já tivemos um momento de discussão sobre isso, porque nós temos povoados que não têm 50 alunos, mas que a necessidade de água é muito grande, então, nós precisamos ajudar esses povoados”, destacou Ana Célia Damasceno, secretária da SEMECT.
“Ano passado muitas escolas trabalharam a temática da água para encontrar soluções viáveis para a questão da água e, uma das escolas, até mesmo antes desse projeto, já se propôs a fazer cisterna. Aqui na zona urbana já tem escola com projeto feito e já vai começar a implantar. A gente ver que a comunidade escola se preocupa com isso. Esse Projeto vai contribuir imensamente com as escolas”, frisou Juarez Júnior, assessor de Educação Ambiental da SEMECT.
O Instituto Nacional de Administração, Projetos e Estudos Municipais (INAPEM) já construiu mais de 300 cisternas no Maranhão e, nesta etapa, os trabalhos vão acontecer em 37 municípios do Estado. Para a implantação da tecnologia social são necessárias três etapas: a formação de uma comissão municipal para mobilização, seleção e cadastramento das escolas; capacitação de merendeiras, professores e pedreiros e, por fim, a construção das cisternas.
“A finalidade é para consumo e preparo da merenda escolar contribuindo com a segurança hídrica e nutricional de alunos, professores e demais funcionários das escolas. Então, isso é algo que a gente tem certeza que vai possibilitar o fortalecimento do processo de ensino e aprendizagem dentro das escolas”, ressaltou Lilia Andrade, coordenadora técnica do INAPEM.
Confira mais fotos: