Atualizado às 12h23
O ex-prefeito de Nossa Senhora dos Remédios e policial civil, Ronaldo César Lages Castelo Branco, foi detido por policiais militares durante uma festa na praça da cidade (a 169 km de Teresina). Ele estaria atirando em via pública por volta das 3 horas deste sábado(16) quando foi flagrado pelos PMs. 
Ronaldo Lages foi encaminhado à Delegacia Regional de Esperantina, onde prestou depoimento durante a manhã de ontem. 
“A informação que nos chegou foi de que teriam sido três disparos. Os policiais militares informaram que ele tinha sinais de embriaguez durante a prisão, mas não foi submetido ao exame. Ele pagou a fiança de um salário mínimo e foi liberado”, disse o delegado Leonardo Alexandre, titular da regional de Esperantina.
O delegado informou ainda que a arma do policial foi apreendida e será encaminhada para a Gerência de Policiamento do Interior. 
Sobre o vídeo que circula do momento em que os policiais militares abordam o ex-prefeito, o delegado informou que “provavelmente é verdadeiro”, mas que este não foi apresentado nem pelos policiais e nem por Ronaldo a ele. 

“Provavelmente seja o vídeo do momento da prisão, mas não está nos autos do inquérito porque ninguém o apresentou aqui na delegacia”, afirmou Leonardo Alexandre. 
Em seu perfil no Facebook, o ex-prefeito confirma que efetuou os disparos, mas foi para “tentar acalmar uma briga” e resolveu não ser omisso já que é policial civil e lotado na cidade. 
Eu, Ronaldo César Lages não quis em momento algum tumultuar a festa, mas sim, tentar acalmar uma briga que aconteceu no referido evento, onde diversos homens estava correndo para bater em um outro rapaz, como naquele momento percebi que a Polícia Militar não estaria ali por perto ou próximo, resolvi como Policial Civil não ser omisso e agir para conter a briga que poderia ter acontecido coisas piores. Quanto ter efetuado 3 disparos para cima, lógico que para inibir que continuasse a briga que envolvia diversas pessoas, não teria como eu inibir gritando para os mesmo parar, por esta razão me sentir obrigado a efetuar os 3 disparos para conter aquela confusão. Por ser homem público, a mídia sempre só conta a versão deles mesmo e esquece de ouvir a minha pessoa. Só lembrando que eu sou lotado na delegacia da referida cidade ou seja eu presto serviço como policial civil a esta cidade. Agora deixo uma pergunta: será se eu como policial civil iria deixar matarem um rapaz na minha frente e nada iria fazer para que isso não vinhesse acontecer. Um exemplo é que após este problema a qual me envolvi um jovem foi esfaqueado em praça pública. Será que eu como policial civil presenciando uma cena desta iria deixar este rapaz ser esfaqueado, onde estava a polícia militar na hora? A mídia joga pra plateia que eu efetuei disparos de arma de fogo, mas não me procura para saber o porque dos disparos e ouvir minha versão e os das pessoas que lá estavam presente, porque todo mundo que lá estava presente sabe que a verdadeira história é esta que estou contando.
O ex-prefeito Ronaldo Lages já foi indiciado por morte no trânsito maio em 2013. A vítima foi a biomédica Joysa Barros Ribeiro, de 30 anos. Na época, o delegado responsável pelo crime havia dito que o indiciaria por homicídio doloso (quando há intenção) já que foi constatado embriaguez ao volante. Mas, ele foi condenado por homicídio culposo, dois anos depois, e a pena revertida em alternativa de prestação de serviços à comunidade. 
Delegado Geral
O delegado geral da Polícia Civil, Riedel Batista, informou que a corregedoria deve atuar no caso, mas que o flagrante do policial deve ser comunicado à comarca de Nossa Senhora dos Remédios, à Corregedoria do Tribunal de Justiça já que ele responde alguns processos em liberdade, e ao juiz da Vara de Execuções Penais para que sejam cessados os benefícios que ele possui ao cumprir penas alternativas do crime de trânsito. 
“Como ele é um policial civil, a primeira providência tem que ser da Corregedoria em matéria administrativa. Já determinei que a arma apreendida seja trazida para a Delegacia Geral e entregue ao GPI e vamos fazer as comunicações ao juiz e promotor de Nossa Senhora dos Remédios, aos processos criminais que ele responde ao juiz corregedor para que sejam cessados os benefícios que ele têm, já que responde em liberdade, e também ao juiz de execução penal, para que sejam cessados os benefícios que ele pela na condenação pela morte da estudante no acidente de carro”, explicou Riedel Batista.
Outra ocorrência em N.S.dos Remédios
Outra investigação conduzida pelo delegado, que também aconteceu em Nossa Senhora dos Remédios, foi uma tentativa de homicídio, já por volta das 7h no final da festa. Domingos Pereira dos Santos foi preso em flagrante suspeito de desferir uma facada contra Francisco Danilo de Oliveira Costa, que foi encaminhado para o Hospital de Urgências de Teresina (HUT) em estado grave. 
“O autor disse não se recordar do motivo briga, ele pode estar querendo omitir o real motivo ou por conta da embriaguez não saber, mas testemunhas viram o momento do crime, que aconteceu nas imediações da praça onde ocorria a festa”, afirmou o delegado.
Domingos está recolhido na delegacia de Porto.