É a última grande chuva de meteoro do ano. 

O céu será invadido por estrelas cadentes na noite desta quarta (13) e madrugada de quinta (14). É quando acontece o pico da chuva de meteoros Geminídeos.
No horário, poderão ser vistos cerca de 120 meteoros por hora. Número bem maior do que o das chuvas de meteoros anteriores, que alcançaram o pico de 20 a 100 estrelas cadentes por hora.É a última grande chuva de meteoro do ano. Seu momento de maior visibilidade ocorre por volta das 2h de quinta-feira, como destaca Gustavo Rojas, astrônomo e professor da Ufscar, em seu programa o Céu da Semana.
Esta é uma das únicas chuvas de meteoros que não surge de um cometa. Sua origem está no asteroide batizado '3200 Phaethon' (Fáeton, filho de Hélios, o deus Sol na mitologia grega) --um cometa que perdeu seus elementos voláteis, que leva 3,3 anos para completar sua órbita.
Assim como os cometas, esse asteroide se desintegra toda a vez que se aproximam do Sol e, quando a Terra passa pelo caminho que ele percorreu, os rastros de seus destroços entram em combustão ao atravessar a atmosfera terrestre. Assim se formam as chuvas de meteoros, popularmente conhecidas como estrelas cadentes.
Quem estiver no Norte e no Nordeste do Brasil terá uma vista mais privilegiada do que aqueles que estiverem no Sudeste e no Sul.
E não precisa se preocupar. Os meteoros geminídeos são do tamanho de um grão de feijão, chegam a alcançar a velocidade de 120km/h em nossa atmosfera, mas não representam nenhum risco ao planeta Terra. Trata-se apenas de um lindo espetáculo espacial.

Fenômeno pode ser muito bem visto a olho nu (Crédito: Reprodução)
Fenômeno pode ser muito bem visto a olho nu (Crédito: Reprodução)

Fonte: Com informações da UOL