Ele foi preso junto com um amigo em Santos (SP) após ambos serem indiciados por tentativa de homicídio.


O administrador de empresas e bacharel em Logística Álvaro da Silva Neto, de 34 anos, alega que tentou se defender ao bater em uma estudante de 19 com uma cadeira, durante uma briga em um quiosque em Santos, no litoral de São Paulo. A revogação da prisão temporária dele foi negada pela Justiça.

Imagens mostram parte da confusão generalizada em meio às mesas do quiosque, localizado no Canal 4, na praia do Embaré. Além de Álvaro, Vitor Hugo dos Santos, de 26 anos, também aparece na gravação agredindo as vítimas, que foram hospitalizadas. O caso foi investigado pela Delegacia da Mulher.

(VEJA O VÍDEO AQUI)

Entre as vítimas, além da estudante, que ficou com diversas lesões pelo corpo e perdeu a consciência ao ser atingida pela cadeira, está o namorado dela, um universitário de 22 anos, que ficou com um coágulo no cérebro. A prima da jovem, uma estudante de 18 anos, também ficou gravemente ferida na ocasião.

"Ele [Álvaro] alega e sustenta a legítima defesa. Jamais teve a intenção de matar alguém. O que acontece é que as imagens não foram disponibilizadas na íntegra. Houve uma confusão anterior e as supostas vítimas teriam virado a mesa deles", afirmou o advogado de Álvaro, Matheus Guimarães Cury.

O defensor solicitou a revogação da prisão temporária, válida por 30 dias, logo após ela ter sido cumprida. A Justiça negou. "Vamos entrar com habeas corpus no Tribunal de Justiça, e acreditamos que ele esteja solto até o Ano Novo. A prisão não foi imprescindível para as investigações, pois os fatos estão sendo apurados", explicou.

O advogado de Vitor Hugo, Raphael Saar, também informou que deverá pedir a liberdade do cliente nos próximos dias e que quer que ele responda individualmente pelos atos que cometeu. "O Vitor se arrepende, mas somente deu um soco em uma vítima. A punição não pode ser a mesma para todos", informou.

Universitário ficou com um coágulo no cérebro depois de ser espancado em quiosque (Foto: Arquivo Pessoal)

Com a prisão dos dois, ocorrida na quinta-feira (21), a delegada Fernanda dos Santos Souza, titular da DDM, afirmou que identificou os outros dois envolvidos nas agressões. "Assim que eles forem reconhecidos formalmente pelas vítimas, também devemos solicitar a prisão de ambos à Justiça", garantiu.

O caso
Vitor Hugo e Álvaro Neto foram presos por tentaram matar os três jovens, no entendimento da Polícia Civil e da Justiça de São Paulo. Outros dois homens, que estavam com os agressores, também são investigados pela equipe da Delegacia de Defesa da Mulher de Santos, para onde o caso foi encaminhado.

"Esses rapazes provocaram as pessoas de outras mesas, exatamente para causar uma briga e uma confusão. Nesse caso específico, eles agrediram de forma bastante violenta e covarde as vítimas", afirmou a delegada titular da DDM de Santos, Fernanda dos Santos Souza, também responsável pelas investigações.

Câmera registrou o momento que homem agride garota com cadeira (Foto: Reprodução)

Para a delegada, não há dúvidas do crime. "O vídeo feito pelas câmeras do quiosque mostram a covardia, agressividade e brutalidade ao atirar uma cadeira [contra a menina]. Havia o dolo eventual. Então, a gente viu que os agressores assumiram realmente o risco de matar as vítimas", disse a delegada.

Os agressores fugiram na ocasião. Dois deles foram identificados após investigação da DDM, que representou na Justiça a prisão temporária, válida por 30, de dois deles. "Descobrimos que esse grupo saía para agredir. A ideia foi prevenir eventualmente a ação desse grupo nas ruas em outros casos".

Por meio de nota, o quiosque informou que lamenta o episódio e que prestou atendimento às vítimas. "Esclarece que dispõe de equipe de segurança particular e que, lamentavelmente, os indivíduos resistiram à ação dos seguranças", afirmou o estabelecimento no comunicado.

Um dos presos lança cadeira em vítima após a primeira cair no chão (Foto: Reprodução)

G1