Beatriz Moreira dos Santos e Adrielly Mel Severo Porto sumiram no dia 24 de setembro (Foto: Reprodução/TV Globo). 


Uma das meninas achadas mortas dentro de um furgão no Jardim Lapena, em São Miguel Paulista, Zona Leste de São Paulo, estava sem a parte de baixo da roupa, segundo informou o SP2 desta terça-feira (17).
O Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) pediu nesta terça-feira que os peritos voltassem ao local onde os corpos foram encontrados em busca de mais pistas.
Os peritos encontraram dentro do veículo um rádio comunicador, que foi recolhido para a análise das digitais. Os investigadores já sabem que um pedaço de madeira travava a porta do baú e um outro pedaço impedia que a porta do motorista fosse aberta.

Os corpos foram encontrados na última quinta-feira (12), Dia das Crianças. A polícia suspeita que a morte tenha sido causada por asfixia. Por causa do estado dos corpos, os legistas ainda não conseguiram concluir se houve abuso sexual. A polícia também não descarta a hipótese de que as meninas tenham morrido por acidente.
O exame de DNA ainda irá apontar se as crianças são Adrielli Mel Porto, a Mel, de 3 anos e 8 meses, e Beatriz Moreira dos Santos, a Bia, de 3 anos e 11 meses - ambas desaparecidas no dia 27 de setembro. As mães delas duas, que moravam na mesma região, reconheceram as roupas das filhas.

Chinelo estava dentro de furgão onde foram achadas duas meninas mortas na Zona Leste de São Paulo (Foto: Reprodução/TV Globo)
Chinelo estava dentro de furgão onde foram achadas duas meninas mortas na Zona Leste de São Paulo (Foto: Reprodução/TV Globo)

Fotos obtidas com exclusividade pelo SP2 mostram o interior do furgão onde os corpos das meninas foram achados. As imagens foram feitas logo depois que policiais chegaram ao local, na última quinta-feira (12), e fazem parte do laudo que está sendo feito pela polícia científica.
As imagens mostram que, além dos chinelinhos, foi recolhida uma muda de roupa que estava no baú. Em cima do veículo, havia uma placa de madeira, como se fosse usada para proteger da ação do sol.

A polícia ainda não identificou suspeitos do crime. Em outro inquérito, a polícia apura a participação de cinco pessoas no espancamento de dois homens pra que eles confessassem a morte das meninas. Os dois foram encontrados machucados e amarrados em um barraco no Jardim Queralux, na Zona Leste, suspeitos de envolvimento na morte das duas meninas encontradas mortas dentro de uma caminhonete.
Eles prestaram depoimento na delegacia e foram liberados. A polícia não trata os dois como suspeitos pelos crimes, mas como vítimas da agressão. Um deles, de 37 anos, já cumpriu pena por estupro.

G1