Fenômeno, que poderá ser visto em todo o Brasil, ocorre anualmente quando a Terra passa por detritos deixados pelo cometa Halley.
Entre a noite de sexta (20) até terça (24), quem tiver paciência e olhar para o céu por pelo menos uma hora poderá avistar a chuva de meteoros Oriônidas. O pico deve ser na madrugada de domingo (22), com maior quantidade de meteoros cerca de 45 minutos antes do amanhecer. Segundo o astrônomo Gabriel Hickel, da Universidade Federal de Itajubá (Unifei-MG), o fenômeno pode ser avistado de todo o Brasil.
Ele informa que as regiões Norte e Nordeste do país devem ter cerca de 20 a 35 meteoros por hora no pico da chuva. Já as regiões Centro-Oeste e Sudeste, entre 16 e 27.
Na região Sul, o número será o menor, com taxas máximas de 12 a 23 meteoros por hora. "Se você olhar para o céu durante toda a noite, vai conseguir ver a chuva.
Tem o pico que ocorre, na medida que os meteoros vão subindo, mas dá para ver durante toda a noite", diz Cássio Barbosa, astrônomo e autor do blog Observatório. Apesar de algumas indicações apontarem que o fenômeno é melhor avistado quando o olhar se volta para a Constelação Órion (por isso, o nome Oriônidas), Hickel avisa não ser preciso olhar para um lugar específico, mas o lugar ideal seria na praia, com baixa luminosidade.
"Para ver uma chuva de meteoros você só precisa dos seus olhos, uma cadeira de praia e motivação. Não há região específica do céu a olhar.
O ideal é procurar um lugar escuro, longe da poluição luminosa das grandes cidades, com o horizonte livre" , comenta Gabriel Hickel. A melhor posição é deitado, diz o astrônomo, e o ideal é olhar para o céu por pelo menos 1 hora para ver um número razoável de meteoros.
A Lua, diz Hickel, estará crescente e não irá atrapalhar a observação. As Oriônidas ocorrem quando a Terra passa por uma região com altas concentrações de detritos oriundos do cometa Halley.
O cometa é visível a partir da Terra a cada 75 anos e sua última "apresentação" se deu em 1986. Cassio Barbosa, do Blog Observatório, explica que várias chuvas de meteoro vão estar ativas ao mesmo tempo em que Oriônidas estiver visível no céu.
Ele preparou uma carta celeste para o horário de 1h da manhã de domingo (22) com as chuvas de meteoros ativas. Os pontos em amarelo representam as mais visíveis.
"Alguma coisa vai dar pra ver, mesmo que não seja a chuva Oriônidas especificamente", avisa Cassio Barbosa. Sobre os meteoros De acordo com o Observatório Nacional, os meteoros são pequenos corpos celestes que se deslocam no espaço e entram na atmosfera da Terra.
Ao adentrarem a atmosfera, eles queimam parcial ou totalmente devido ao atrito e ao contato com o oxigênio. O fenômeno deixa um risco luminoso no céu, popularmente chamado de "estrela cadente".
As chuvas de meteoros, diz o Observatório Nacional, não representam riscos para a Terra e acontecem em praticamente todos os meses, mas alguns não têm ampla visibilidade. .
Para ler o artigo original, clique aqui.