Até a manhã desta quarta-feira (27) o pai que estrangulou a filha de seis meses estava preso em uma das celas da Delegacia de Cruzeiro do Sul. Antônio Jarlison Félix, de 20 anos, chorou ao saber, pela reportagem do G1, que a bebê não resistiu e morreu na noite de segunda-feira (25). Ele garante que não se lembra de nada do que aconteceu.

“Ela era minha única filha, eu vivia com a mãe dela há mais de um ano. Não lembro de nada, nunca tive nenhuma passagem pela polícia, não bebo e não fumo, mas sempre me sinto mal”, disse o agricultor.

À reportagem, ele disse que o choro da filha o incomodava e acredita ter algum distúrbio mental. “Eu nunca tinha feito isso com ela, acho que tenho distúrbios. Eu não suportava ouvir o choro dela todo dia, não sei o que aconteceu", reafirmou Félix.

O agricultor foi encaminhado ao Presídio Manoel Neri, em Cruzeiro do Sul, ainda nesta quarta-feira (27). A decisão foi da 1ª Vara Criminal do município. O homem aguardava a decisão da Justiça na delegacia do município desde a segunda (25), quando se apresentou e confessou o crime.

O acusado, que alegou ao delegado ter problemas mentais, vai responder por homicídio duplamente qualificado. A criança foi estrangulada por Félix enquanto a mãe teria ido comprar comida.

O caso ocorreu na comunidade São João, na BR-364, a 100 km de Cruzeiro do Sul, no último domingo (24). A bebê chegou a ser levada para o Hospital do Juruá, mas não resistiu. O corpo da bebê foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) para a família na manhã de terça (26).

G1