Adolescente foi apreendido (Crédito: Rede Meio Norte)
Adolescente foi apreendido (Crédito: Rede Meio Norte)
A delegada Ana Luiza, da Central de Flagrantes, durante entrevista no Agora da Rede Meio Norte, afirmou que o adolescente de niciais F.S.F, de 17 anos, acusado de espancar o menino Davi Jhones da Silva Sousa, de 4 anos, que morreu hoje pela manhã vítima do espancamento no Residencial Torquato Neto ocorrido ontem de tarde, pode sofrer de problemas mentais. 
Delegada Ana Luiza, da Central de Flagrantes (Crédito: Rede Meio Norte)
Delegada Ana Luiza, da Central de Flagrantes (Crédito: Rede Meio Norte)
“No interrogatório ele declara que somente agrediu a vítima para se defender. Ele afirma que a criança estava portando uma [arma] .40 e no caso não tem relato de qualquer arma de fogo na residência dele. É por isso que está se levantando a questão da possibilidade de ele ter tido um surto esquizofrênico, ou no caso em razão do consumo de entorpecentes ele tenha tido alguma alucinação. Então isso tudo vai ser avaliado ao londo do inquérito policial”, afirmou.
O adolescente foi apreendido na noite de ontem e encaminhado para o Complexo do Menor e deve permanecer no local até que a Justiça autorize sua transferência. A Polícia Civil tem 10 dias para concluir o inquérito por homicídio. Quando julgado, o adolescente pode ser condenado por até três anos de internação, mas caso seja comprovado que ele sofre de transtornos mentais, a pena pode ser apenas uma medida de segurança.
“Nesse caso, às vezes, essa medida de segurança tem um prazo menor, ou um prazo maior do que o da própria pena para ele que é uma medida socioeducativa”, acrescentou a delegada.
Davi Jhones da Silva Sousa, de 4 anos (Crédito: Reprodução)
Davi Jhones da Silva Sousa, de 4 anos (Crédito: Reprodução)

O garoto havia passado por uma cirurgia na noite de quinta-feira (21) e estava em coma induzido após sofrer traumatismo craniano e perder massa encefálica. O seu quadro de saúde era bastante grave.
Segundo os familiares do garoto, o adolescente já teria tentado agredir o pequeno Davi Jhones anteriormente e que a ação foi muito rápida. O menor foi apreendido na noite de ontem e de acordo com o  capitão Paulo Silas, aparentemente o infrator sofre de  problemas mentais, pois no momento da abordagem policial, o suspeito alegou que agrediu Davi Jhones, para se defender, pois a criança estava portando uma pistola Ponto 40 para matá-lo.
Pedaço de madeira usado no crime (Crédito: Rede Meio Norte)
Pedaço de madeira usado no crime (Crédito: Rede Meio Norte)
Ainda segundo capitão Silas, o menor não esbouçou nenhum tipo de reação no momento da apreensão e que foi uma ação rápida, por conta que a população local queria lincha-lo. O menor foi apreendido meses atrás pela prática de roubo e teria sido posto em liberdade há poucos dias após cumprir uma medida sócio-educativa e voltou novamente a sofrer ato infracional.
Meio Norte