Um caso criminal recente teve grande repercussão em todo o Brasil. [VIDEO] Um casal foi pego estuprando de um bebê de sete meses. Eles se dizem pais da menina, que não teria certidão de nascimento. Um exame de DNA foi solicitado para comprovar o parentesco dos dois com a criança.
O abuso sexual aconteceu em um motel da Zona Leste de Manaus, capital do estado do Amazonas. Nesta segunda-feira (4), o caso ganhou um novo episódio, como mostra o portal de notícias G1. A condenação do casal apareceu e foi dura.

Pais que abusaram de bebê em motel recebem ordem de prisão, em Manaus

A polícia não divulgou os nomes dos envolvidos, pois eles correriam risco de morte.
É muito comum que pessoas que cometem crimes desse tipo recebam grande represália na prisão.
Até existe um local especial para estupradores nas cadeias, mas como o crime extrapola o comum, a polícia até mascarou o homem e a mulher. Ela é uma estudante e ele um médico peruano, que trabalha na capital federal.

Funcionária de motel ouve bebê chorar e o que estava na cama assusta

O crime foi descoberto graças à sagacidade de uma funcionária. A mulher ouviu uma bebezinha chorando e achou tudo muito estranho. Ela, então, ligou para a polícia.
Ao entrarem no quarto do motel, os policiais pediram que uma mulher olhasse as partes íntimas da bebê e ela constatou que a vagina e o ânus da criança estavam muito machucados. Uma perícia também foi feita na menina e constatou que realmente o abuso aconteceu.

Prisão preventiva de pais que abusaram de bebê de sete meses em motel é expedida

A prisão preventiva teve o parecer favorável do promotor de Justiça Davi Santana da Câmara. A partir da audiência de custódia, o processo passa a tramitar, sob segredo de Justiça. Já se sabe que o médico chegou em um veículo e pediu uma suíte no local.
Os funcionários negam que viram a mulher ou a criança no carro. Acredita-se que elas estivessem no banco de trás. No entanto, o choro estranho no quarto fez com que os profissionais chamassem a polícia, através do famoso 190.

Bebê de 7 meses já havia sido alvo de outros abusos, diz IML

Outra coisa que se descobriu, através do exame feito no Instituto Médico Legal (IML), é que a bebê, mesmo sendo tão nova, já havia sido alvo de diversos abusos sexuais. A garotinha tinha marcas de estupro que seriam antigas.
O que surpreendeu nesse caso de pedofilia foi o prazer dos pais em levarem a bebê até mesmo para um motel, mesmo sabendo que a criança poderia berrar e chamar a atenção das pessoas.