Imagens de familiares velando um gato de estimação repercutiram nas redes socias. O caso foi registrado na cidade de Picos, a 306 km de Teresina, no início do mês de setembro. Contudo, as fotos só repercutiram agora e tem gerado comentários maldosos. O dono da funerária, Roque Rafael, conta que é comum fazer velórios de pets, mas não foi o caso da família. 
"Não foi um velório. O gato faleceu por volta das 11h e a família pediu para que eu o pegasse e colocasse em uma urna, arrumasse o corpo para que eles fizessem o sepultamento em uma chácara. Foi o que eu fiz. Eles não queriam que os filhos vissem o bichinho morto em casa, pois seria muito doloroso. Então, fiz tudo e coloquei o bichinho no salão da funerária", relembra o proprietário. 
Ele conta que a imagem que viralizou na internet foi feita pela própria família. O gato tinha 14 anos de idade e era considerado um filho.
"A família chegou na funerária e viu o gato "arrumado" e se emocionou muito, pois não esperavam encontrá-lo daquel jeito. Assim, resolveram registrar o momento. Depois, compartilharam a foto com um parente e rapidamente a foto se espalhou.  A repercussão foi grande basicamente pela imagem da família chorando ao lado do corpo. Para mim, fazer velório de pets é normal. Não é o primeiro e nem será o último", diz Roque Rafael acrescentando ainda fez, inclusive, o velório do seu próprio cachorro. 
Os comentários maldosos incomodaram os familiares do gato, segundo o empresário. Ele diz que, após a repercussão, foi procurado pela família. 
"Eles ficaram chateados pelos comentários maldosos. O pai das crianças veio até aqui e disse que o caso repercutiu até na escola dos filhos. Contudo, ele disse que tem consciência que fizeram o melhor pelo gatinho que era tratado como filho e não estão arrependidos", conta Rafael que também é apaixonado por animais e cria oito cães. 
Dono da funerária com alguns dos seus pets
Para quem ficou curioso, o serviço funerário incluindo urna e preparação do corpo de um animal de pequeno porte custa em média R$ 500. Já o serviço completo, com direito a velório, chega a R$ 1.500.
"Nunca encomendaram o serviço completo, mas se vierem estou preparado para atender. Os animais são hoje como membros de nossas famílias", finaliza Roque Raquel que é proprietário da funerária há 15 anos, no centro de Picos. 
O Cidadeverde.com tentou localizar a família, mas não conseguiu. 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com