As obras do Centro de Internação Provisória e Definitiva para Jovens Infratores, localizado em Davinópolis, na Região Tocantina, estão paradas desde 2015. A situação no local é de abandono. O que já foi construído, no valor de sete milhões de reais, está se deteriorando.
A obra começou em 2014, mas está parada há dois anos. Ainda em 2015 o Ministério Público do Maranhão (MP-MA) ingressou com uma Ação para que a Justiça obrigasse o governo do estado e a empresa responsável a entregar o prédio em seis meses com aplicação de multa diante dos sucessivos atrasos. Só que o pedido nunca foi apreciado. Um acordo também foi feito, mas a situação de abandono só piorou.

Numa vistoria recente a Promotoria da Infância e Juventude constatou muitas rachaduras, infiltrações, problemas que surgiram por falta de acabamento, além do furto de material. Canos foram quebrados, a fiação arrancada.
A empresa responsável pela obra disse que essa parte já concluída atingiu o valor de sete milhões de reais, mas o governo só teria pago três milhões e meio. O orçamento de todo o projeto atualmente está em 21 milhões de reais.

O MP deve ingressar com nova ação e o governo do estado pode responder por improbidade. Os recursos da obra na área de 50 mil metros quadrados são BNDES e do governo do estado. O projeto inclui além dos prédios e alojamentos para 86 internos, campo de futebol, quadra e até teatro.
Em nota, a Secretaria de Estado da Infraestrutura disse que nos próximos dias será lançado o edital para a contratação da empresa que vai continuar a obra da Funac.

G1 Ma