A justiça determinou a continuação das investigações no processo que investiga o homicídio doloso do cunhado da apresentadora Ana Hickmann, Gustavo Henrique Bello Correa, contra Rodrigo de Pádua. Para quem não se lembra, Rodrigo, ano passado, foi para Belo Horizonte e entrou no hotel da apresentadora para tentar assassiná-la.
A defesa do caso alega legítima defesa, mas a juíza não aceitou as alegações. A responsável pelo processo, Âmalin Aziz Sant’ana, determinou o prosseguimento das investigações do caso. “Afasto as alegações da defesa, nesse momento, e dou prosseguimento ao processo”, disse ela.
Desde o início, essa foi nossa principal tese: a tese que foi alegada pelo Gustavo e acatada pelo delegado responsável na época. Quem age em legitima defesa, não comete crime. Não tem como a gente mudar nossa estratégia. Não tem o porquê do Gustavo ser condenado, o certo seria a arquivamento do caso”, disseram os advogados, após saberem da decisão.
O delegado responsável pelo caso, Flávio Grossi, pediu o arquivamento do inquérito em 17 de junho e alegou ser legítima defesa, pois foi consequência do atentado sofrido pela apresentadora. O argumento foi que tudo tinha sido planejado por Pádua, pois ele programou a abordagem e a escolha da arma.
Até o momento, a apresentadora não comentou sobre o assunto.