Começa a sair do papel as obras anunciadas pelo prefeito Fábio Gentil nos primeiros 100 dias de governo. Três delas, o Mirante, no Morro do Alecrim; o Shopping da Gente, no Centro da cidade e a Praça Dom Luís Marelim (Praça da Chapada) estão tendo suas áreas isoladas para que os trabalhos de construção sejam iniciados. A Avenida Otávio Passos teve uma de suas vias interditada para abrigar os camelôs e mototaxistas. Apenas o sentido Banco do Brasil – Delegacia Regional está sendo utilizado.
“Nós cremos que vai dar tudo certo. O lugar foi bem escolhido. Graças a Deus o secretariado que estava com a gente no dia da reunião cedeu esse espaço. Nós achamos que esse local é o melhor para estarmos. Aqui tem mais movimento, ficamos mais centralizado. Nós mudamos pouco. Pelo menos fez com que tivéssemos mais união. Amanhã vai estar melhor, porque nós precisamos pensar também no pedestre, e aqui a via ficou estreita, então, nós precisamos centralizar as bancas para que possa sobrar um pouco de espaço para o pedestre” explica  Edivan (Irmão), representante dos Camelôs.

A previsão é que o Shopping da Gente seja finalizado no prazo de um ano e meio. Já a Praça da Chapada o prazo é menor, de seis meses, ou seja, no início de 2018 já deve ser entregue à população. Na Secretaria Municipal do Trabalho e Economia Solidária, os trabalhadores da primeira fase dos trabalhos fizeram fila na manhã desta segunda-feira (17\07) para entregar seus currículos e disputarem para a gente. uma das centenas de vagas nos canteiros de obras.
“Com fé em Deus vai melhorar. Nós estávamos aguardando essa oportunidade. Já deixei o currículo, estou esperando apenas eles chamarem aí”, disse Carlito da Conceição, ajudante de Pedreiro.
Algumas pessoas passaram em frente ao local isolado pela empresa que vai executar a obra do Shopping da Gente apenas para saber se realmente o que era sonho está se transformando em realidade.

“Passei aqui apenas pra ver como está e também para ver se consigo uma vaga para trabalhar. Essa obra é muito importante, vai ser bom demais. Vai ser um sonho de muito tempo”, disse o trabalhador Ângelo.
A seleção de trabalhadores como: eletricistas, carpinteiros, pedreiros e ajudantes está sendo feita por cada empresa. A SEMTRES está sendo apenas a intermediadora entre o trabalhador e as empresas no processo de recrutamento da mão de obra. A expectativa é que sejam gerados aproximadamente 1.500 empregos diretos.
“A demanda está muito grande hoje, o trabalhador vai ter que trazer seu currículo para a Secretaria do Trabalho, no Centro de Cultura, munido de todos os documentos: carteira de trabalho, CPF, Identidade, comprovante de residência. Vamos fazer a intermediação entre o trabalhador e as empresas vencedoras das licitações. Nós acreditamos que mais de 1.000 empregos vão ser gerados daqui para frente. As empresas vão analisar os currículos e de acordo com a necessidade, elas vão chamando”, explica Léo Brandão, coordenador da SEMTRES.
Confira mais fotos: