Foi realizado, sexta-feira (07), na cidade de Caxias, o terceiro seminário Revitalização dos Rios Maranhenses e Suas Nascentes, numa ação do programa SOS Águas do Maranhão, idealizado pelo Instituto Cidade Solidária e o Movimento Ensinando e Aprendendo (MEA) com o objetivo de discutir e fomentar políticas públicas que possibilitem revigorar todas as bacias hidrográficas maranhenses.
A Bacia do Itapecuru- Sua Importância e Propostas Para a Sua Revitalização foi um dos temas abordados durante as atividades técnicas. Atuaram como palestrante o desembargador aposentado Arthur Almada Lima (presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Caxias) e o coordenador do Comitê das Bacias Hidrográficas do Itapecuru, Carlos Benedito Maciel. A chefe da Unidade de Meio Ambiente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Ericka Cunha, explicou a sobre o planejamento da Companhia para a Bacia Hidrográfica do Itapecuru.
As atividades técnicas estimularam os debates e promoveram a interação dos participantes, por meio de perguntas e repostas. Elas foram coordenadas pelo vice-prefeito de Caxias, Paulo Marinho Jr. e a Prfª da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Joseleide Teixeira Câmara.
O senador Roberto Rocha (foto principal), que foi um dos palestrantes, anunciou medidas concretas para a revitalização do rio Itapecuru, dentre elas a liberação de R$ 5 milhões para que a Universidade Estadual do Maranhão (Uema) faça o Plano de Recursos Hídricos do Itapecuru e o projeto de estação de monitoramento para que as águas do rio sejam monitoradas permanentemente. Roberto Rocha destacou, também, que conseguiu junto ao governo federal que o Exército Brasileiro realize o trabalho de desassoreamento dos rios maranhenses.
Lembrou ainda, o senador, que já viabilizou recursos de R$ 2,5 milhões para que a Codevasf faça todo o diagnóstico do rio Itapecuru, e que a sua primeira emenda como senador da República foi destinada para revitalização desse rio, que, segundo ele, deveria estar sob cuidados do governo do estado.
“ O rio Itapecuru é eminentemente estadual, e deveria ser cuidado pelo poder executivo do nosso estado. O governo do Maranhão está convidado para, se assim desejar, participar deste esforço, que não é o esforço de um senador, de um prefeito, ou de uma só pessoa. É um esforço de um estado que procura se levantar para, pela primeira vez, ouvir a voz dos rios que pedem socorro”, disse Roberto Rocha.


O evento teve grande adesão dos caxienses, que lotaram o auditório da Escola São José para trocar experiências com especialistas e autoridades na área ambiental

Na oportunidade, o senador entregou ao prefeito Fábio Gentil uma placa simbolizando o início do projeto “Adote Uma Nascente”, cuja finalidade é incentivar a participação voluntária da classe empresarial e da comunidade no processo de gestão ambiental, por meio de ações de recuperação e revitalização de nascentes dos rios.
O prefeito elogiou a iniciativa do seminário, que resgatou o debate sobre o problema do rio Itapecuru. “Caxias é uma cidade de águas, e trazer para a nossa cidade este seminário é motivo de muito orgulho, pois ele se propõe a melhorar a nossa vida, porque água é vida”, ressaltou.
Para o presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Caxias, Almada Lima, o seminário já merece um registro especial na história de Caxias. “Hoje é um dia ímpar na história de nossa cidade, pois o senador Roberto Rocha, por meio deste evento, nos traz a certeza de que a bacia do nosso Itapecuru será, de fato, revitalizada, depois de tantos anos de degradação”, disse.
Como ocorreu nos eventos anteriores, o Instituto Cidade Solidária, representado por Liviomar Macatrão, fez a doação dos alimentos não perecíveis arrecadados durante o evento. Em Caxias, a instituição beneficiada foi a Fazenda da Esperança, comunidade terapêutica que abriga jovens dependentes químicos que desejam se livrar do álcool e das drogas.
De acordo com o Comitê organizador, o próximo seminário está previsto para ocorrer no mês de agosto, na cidade de Grajaú.
Maranhão Hoje