José Ricardo e Iarla namoravam a apenas uma semana e após matá-la, o rapaz dirigiu até seu apartamento com o corpo no carro, que ficou no estacionamento. 

Nesta terça-feira (20/06), as jovens baleadas pelo tenente do Exército José Ricardo da Silva Neto, 25 anos, suspeito de matar a namorada Iarla Lima, 25 anos, nesta segunda-feira (19/06), foram ouvidas pelo coordenador da Delegacia de Homicídios, Francisco Costa, o Barêtta e elas puderam esclarecer situações que antecederam o crime.
Elas disseram que foram para a casa de shows na Zona Leste e que estavam se divertindo, até o rapaz pedir para irem embora, pois não estavam se sentindo bem. No carro ele ficou dizendo que ela estava se 'insinuando' no bar, pegou a arma e atirou na jovem, depois efetuou disparos nas duas que estavam no banco de trás, que conseguiram sair do veículo.
José Ricardo e Iarla namoravam a apenas uma semana e após matá-la, o rapaz dirigiu até seu apartamento com o corpo no carro, que ficou no estacionamento.
Ao chegar ao apartamento, o tenente teria realizado duas ligações, uma para a mãe, que mora em Pernambuco, e outra para o coronel Alessandro Sousa, comandante do 2º Batalhão de Engenharia de Construção, onde o tenente é lotado desde 2014.

O delegado destacou que há registro do crime de porte ilegal de arma de fogo, mas este será absolvido devido à gravidade dos demais crimes, pois irá responder por um homicídio e duas tentativas de homicídio.