Janaína Riva faz oposição ao governo Pedro Taques (à direita da foto) na Assembleia Legislativa (Foto: Chico Valdiner/ Gcom-MT). 


A deputada Janaína Riva (PMDB) publicou nesta terça-feira (6) um vídeo na internet em que pede desculpas por chamar o governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), de 'veado' em um áudio que circula na web. No pedido de desculpas, a parlamentar alega que não quis ofender a honra do chefe do Executivo e que não apelou para a conotação sexual da expressão. Ao G1, o Gabinete de Comunicação do estado informou que o governador não irá se manifestar sobre o assunto.
A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), por meio de assessoria, não soube informar se a deputada poderá responder a algum procedimento por causa disso.
Ao G1, Janaína Riva afirmou que o áudio foi gravado durante uma conversa informal com amigos. “Foi uma brincadeira infeliz na qual usei a expressão sem a conotação sexual que as pessoas entenderam. A palavra foi usada por mim como um palavrão”, declarou. O áudio vazou e está circulando no WhatsApp.

VÍDEO DE DESCULPAS:



No áudio, a deputada critica o governador: “Acho que cada um tem o governo que merece. Se estão tendo isso é porque cavaram. Tudo fica lá [ALMT] para nós resolvermos e não temos a maioria. Agora, tem que ter paciência. Quem mandou eleger esse 'veado' para governador? Está aí agora o resultado”.
No pedido de desculpas, a parlamentar afirma que não quis ofender a honra de Taques. “O assunto é chato, mas o melhor de tudo isso é se arrepender e pedir desculpas. De forma alguma, quis ofender o governador e muito menos a comunidade LGBT”, diz em trecho do vídeo. Ela também pediu que o áudio não seja compartilhado.
Foto de camisola
Recentemente, a deputada, que faz oposição ao atual governo, foi quem recebeu um pedido de desculpas do secretário de Comunicação do estado, Kléber Lima. A parlamentar registrou um boletim de ocorrência contra ele pela divulgação de uma foto em que ela aparece de camisola, depois que veio à tona o escândalo dos grampos clandestinos no Núcleo de Inteligência da Polícia Militar de Mato Grosso, com uma reportagem do Fantástico.

G1