Reunião foi comandada pelo Secretário Adjunto Alberto Simão(Betinho). 


A Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte de Caxias reuniu em sua sede no Bairro Pirajá na manhã da última sexta feira (05/05), integrantes das Secretarias Municipais, órgãos responsáveis pela segurança pública, representantes de instituições educacionais e da sociedade civil organizada com o intuito de acolher sugestões para o desenvolvimento da campanha denominada “Maio Amarelo”, uma ação coordenada do poder público e da sociedade civil que visa evitar mortes no trânsito estabelecendo um pacto pela vida das pessoas que utilizam o trânsito na cidade.
Queremos que não aconteça mortes, o ‘Maio Amarelo’ é um pacto pela vida, é uma ação preventiva”, ressalta Alberto de Carvalho Simão, secretário adjunto de Trânsito e Transportes.
Esse movimento também marca o retorno do trabalho dos agentes de trânsito na cidade de Caxias, orientando a nossa população. Nós viemos trazer a nossa experiência porque estamos vivenciando a década mundial pela segurança no trânsito”, reforça Sargento Moisés, vereador.
Caxias é a terceira cidade maranhense em número de veículos, o que faz com que o trânsito tenha um maior fluxo e com isso, haja mais possibilidade de ocorrerem incidentes.  O movimento maio amarelo quer chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortos e feridos no trânsito em todo o mundo.  Só no Brasil, mais de 50 mil pessoas são vítimas a cada ano. São 136 mortes por dia em média, os dados são do seguro obrigatório – DPVAT – seguro de danos pessoais causados por veículos automotores de vias terrestres.
A gente vai ajudar na fiscalização de trânsito e junto com todo o grupo, vamos ajudar da melhor forma possível. É uma forma de mostrar que nós estamos desenvolvendo ações para contribuir com a sociedade”, explica Lima, Agente de Trânsito.
É uma campanha a nível mundial, nessa reunião nós demos o pontapé inicial, na próxima semana vai ser o lançamento tendo uma data específica para que a gente possa melhorar a situação desse trânsito de Caxias”, lembra o secretário adjunto Alberto de Carvalho Simão.