(Ilustrativa), Roberto rocha, Fábio Gentil e Paulo Marinho dão a largada para a criação da EADI- Estação Aduaneira do Interior que vai mudar o perfil sócio econômico do interior do Maranhão. 

O senador Roberto Rocha justificou através de ofício mediante e de interesse nacional a Superintendência da Receita Federal do Brasil da Região Fiscal do Maranhão, em instituir a EADI-Maranhão na cidade de Caxias, onde será designada uma Comissão Especial, que foi determinada por uma portaria referendada por um acórdão do TCU.

Já em outro ofício encaminhado direto do gabinete do senador para o Ministro da Fazenda Henrique de Campos Meirelles, submeteu a apreciação do projeto de implantação do Porto Seco para Caxias. De acordo com o Senador, Caxias tem uma área privilegiada em relação aos Porto de Itaqui, Imperatriz, considerada como o eixo logístico de conexão com o corredor centro-Norte e a nova fronteira de grãos brasileira, a 410 km da cidade de Balsas/MA, a 65 km da cidade de Timon/MA e a 70 km da cidade de Teresina/PI.

O ex-Deputado Paulo Marinho, esteve recentemente em Brasília-DF apresentando o projeto ao Senador Roberto Rocha(PSB) e comitiva, onde frisou a importância da nova gestão municipal comandada pelo Prefeito Fábio Gentil(PRB) e do Vice-Prefeito Paulo Marinho Jr(PMDB) que são favoráveis a implantação do Porto Seco em Caxias, pois irá proporcionar a tão sonhada geração de emprego e renda aos caxienses, atraindo novos investidores e empreendedores à princesa do sertão maranhense.

Ex-Deputado Federal Paulo Marinho e o Senador Roberto Rocha(PSB) em Brasília-DF.
Vice-Prefeito Paulo Marinho Jr (PMDB) e Prefeito Fábio Gentil(PRB) a favor da implantação do Porto Seco em Caxias que irá gerar emprego e renda aos caxienses. 


VANTAGENS DOS PORTOS SECOS

Através deles, consegue-se uma integração mais efetiva com outros meios de transporte: tem-se acesso facilitado a um grande porto (marítimo ou fluvial), e é possível fazer da multimodalidade uma realidade. Há ainda portos secos atendendo aeroportos de carga e eles normalmente têm rodovias importantes que os servem, mas ainda é preciso investir mais na integração ferroviária.

Na atualidade, os portos secos são importantes aglutinadores logísticos, capazes de receber mercadorias no seu processo inicial e proceder com a montagem, etiquetagem, separação, picking, além do processo de armazenagem e distribuição.  Se no passado o porto seco era considerado apenas um local de armazenamento, hoje ele pode oferecer tecnologias de ponta, capazes de gerenciar toda a logística aduaneira, tanto na importação quanto na exportação.

E com um volume de cargas ainda muito inferior aos portos marítimos, uma vez que não executa os serviços operacionais de um porto, como carregar ou descarregar navios, os portos secos oferecem vantagens como a agilidade do desembaraço aduaneiro. Como o tempo de espera é menor, economiza-se com a armazenagem. Os serviços de despacho aduaneiro também são mais baratos quando comparados aos aeroportos ou portos marítimos. Estima-se uma redução de custos totais de até 30% comparado aos portos e de até 90% quando comparado aos aeroportos.





Fonte e Redação: Jornalista de Política Análio Jr(MTE: 0001413/MA)
Whatsapp: (99)981231637