PlayWebTV

Todas as praias de São Luís e Ribamar são impróprias para banho, aponta levantamento

Todas as praias de São Luís e Ribamar são impróprias para banho, aponta levantamento
POLÍTICA

ATUAL7 já havia mostrado que o Palácio dos Leões divulga laudos de balneabilidade com sete a até 15 dias de atraso



Levantamento realizado pela Folha de S.Paulo em 1.180 praias do país aponta que todas as praias da Região Metropolitana de São são impróprias para banho.
Os dados de balneabilidade foram analisados com base em normas federais para medir a qualidade das águas, método adotado pela Cetesb (órgão ambiental de SP), que identifica as praias entre “ótima” e “péssima” a partir dos levantamentos semanais.
No sábado passado, dia 28, o ATUAL7 já havia mostrado que os laudos de balneabilidade das praias da capital e de São José de Ribamar são divulgados com sete a até 15 dias de atraso. Isto significa dizer que, quem cai nas águas poluídas das praias só terá conhecimento de que correu risco de contaminação duas semanas depois.
Enquanto o Palácio dos Leões divulga a balneabilidade das praias como próprias ou impróprias para o banho baseando-se apenas no laudo mais recente, o levantamento da Folha mostra que uma praia é considerada própria se não tiver registrado mais de 1.000 coliformes fecais para cada 100 ml de água na semana de análise e nas quatro anteriores.

São José de Ribamar

Praia: Meio
Ponto de medição: Bar do Capiau
Situação: Péssima
Praia: Meio
Ponto de medição: Bar da Praia
Situação: Péssima
Praia: Araçagi
Ponto de medição: Fatimas Bar
Situação: Péssima
Praia: Araçagi
Ponto de medição: Bar Novo Point
Situação: Péssima
Praia: Araçagi
Ponto de medição: Bar do Isaac
Situação: Péssima

São Luis

Praia: Ponta d’Areia
Ponto de medição: Forte Santo Antônio
Situação: Péssima
Praia: Ponta d’Areia
Ponto de medição: Edifício Herbene Regadas
Situação: Péssima
Praia: Ponta d'Areia
Ponto de medição: Hotel Praia Mar
Situação: Péssima
Praia: Ponta d'Areia
Ponto de medição: Bar do Dodô
Situação: Péssima
Praia: Ponta d'Areia
Ponto de medição: Praça de Apoio ao Banhista
Situação: Péssima
Praia: Ponta d'Areia
Ponto de medição: Hotel Brisa Mar
Situação: Péssima
Praia: São Marcos
Ponto de medição: Bares do Chef e Marlene’s
Situação: Péssima
Praia: São Marcos
Ponto de medição: Barraca da Marcela
Situação: Péssima
Praia: São Marcos
Ponto de medição: Agrupamento Batalhão do Mar
Situação: Péssima
Praia: São Marcos
Ponto de medição: Ipem e Bar Kalamazoo
Situação: Péssima
Praia: São Marcos
Ponto de medição: Foz do rio Calhau
Situação: Péssima
Praia: Calhau
Ponto de medição: À direita da elevatória 2 da Caema
Situação: Péssima
Praia: Calhau
Ponto de medição: Pousada Tambaú
Situação: Péssima
Praia: Calhau
Ponto de medição: Bar Malibu
Situação: Péssima
Praia: Olho d’Água
Ponto de medição: À direita da elevatória Iemanjá 2
Situação: Péssima
Praia: Olho d’Água
Ponto de medição: À direita da elevatória Pimenta 1
Situação: Péssima

Riscos

O banho de mar em áreas impróprias pode resultar em problemas de saúde, sobretudo doenças gastrointestinais ou de pele, como micoses. Especialistas, contudo, não descartam contaminação até mesmo em praias consideradas limpas — embora a chance seja bem menor.
“As classificações das praias são uma probabilidade. Gostaria de saber se, em determinada praia, vai ficar doente ou não. Mas, do ponto de vista da ciência, não é tão simples. Há diversas variáveis”, diz Paulo Guimarães Barrocas, pesquisador em saúde pública da Fundação Oswaldo Cruz.
Uma das variáveis é a saúde do banhista. Pessoas com o sistema imunológico frágil, como crianças e idosos, correm mais risco, assim como as com doenças que comprometem o sistema imunológico.
Os testes também têm efeito limitado, pois não identificam vírus que em águas muito contaminadas podem transmitir até hepatite A.
Outro foco de contaminação, que não é medido nos testes de balneabilidade, é a areia poluída com lixo.
Fonte: Atual7

0 comentários