Vereador Ximenes não teve força para estar a frente da mesa diretora como em outrora. 


Em tempos de "vacas magras", o vereador que é um veterano no legislativo de Caxias desde a década de 80, parece não ter o mesmo pique de outrora mesmo tendo repousado do poder ao deixar sua esposa Ana Lúcia Ximenes vereadora, que saiu de cena no auge dos embates políticos quando FG tinha apenas 4 vereadores ao seu lado antes de vencer as eleições de 2016.

Meio que "enferrujado", Ximenes além de estar desgastado politicamente(pois teve queda expressiva de votos em comparação há tempos de glória), hoje amarga a falta de prestígio no quesito poder de indicação e de influência nos momentos de poder de decisão que tinha entre o legislativo e executivo que hoje ficaram apenas na saudade.

Da mesma forma que Ximenes viu no GRANDÃO em tomar de seus concorrentes a chefia da casa do povo em 2013 através de Ana de X, o momento em que o edil vive parece soar como castigo, pois o mesmo grãndão além de não lhe dado força nem para se candidatar à presidência da casa em seu retorno, não dar sinais de um plano "b".

O veterano convive diariamente com o resultado daquilo que ele mesmo começou, de ter lutado tanto pelo poder legislativo no passado, e como destino ficou distante do novo executivo no presente. O porquê só os que acompanharam os bastidores daquela época entenderão.

Quem muito "cobiça" um poder acordado de outrem, mesmo tendo êxito acaba perdendo força no futuro para aquele que realmente era de direito. O destino se encarrega de fazer o juízo final....