Estratégia que o vereador Jerônimo usava com os Coutinhos para barganhar não funcionou com os Gentis. 

As bocas miúdas em Caxias, cochicharam nos 4 cantos o desespero do vereador Jerônimo em se aliar ao novo governo Gentil. Acostumado com regalias, que não se sabe como, mas o edil era temido pelo clã couthiniano com o seu tom ameaçador no gogó ao usar a tribuna do povo, mesmo tendo uma voz aguda, mas que lhe rendeu uma influência até boa diante da regional de saúde do Estado.

Em um passado não muito distante, Jerônimo foi atacado severamente pela então vereadora Benvinda ao alegar em um embate, que o edil tinha passado um cheque sem fundo em um evento da instituição que está sempre a frente. Mesmo com negativas quanto a sua conduta, Jerônimo tem colhido bons frutos com a APAE em Caxias. Com a saída de Benvinda, derrotada nas urnas em 2016, eis que surge uma nova pedra no calçado de quem usa da política para se dar bem, o destino se encarrega de barrar ou pelo menso colocar um freio no insaciável parlamentar.

Na última segunda feira o vereador Gladston que sempre usa do humor para fazer o uso da palavra, pediu uma parte no segundo expediente e investiu contra Jerônimo dizendo que é bom o vereador ficar preocupado mesmo, pois antes as torneiras para o edil mau acostumado antes jorrava através do mandatário anterior e que agora teria que se conformar ao aderir a situação no estilo "conta gotas".

O ti ti ti atiça ainda que para compor o número "13" o "ex-boi de piranha" da política teve que se sujeitar a muito chá de cadeira que daria para servir muitos no vale dos desesperados na frente da viúva...