O presidente da República, Michel Temer, ofereceu as Forças Armadas aos governadores para ações de cooperação em penitenciárias estaduais. Em reunião nesta terça-feira (17), Temer também determinou a criação de uma comissão para reformar o sistema penitenciário.

As decisões fazem parte de um conjunto de novas medidas de apoio aos estados diante da atual situação do sistema penitenciário brasileiro.

Segundo o porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, as Forças Armadas participarão de inspeções rotineiras para detectar e apreender materiais proibidos nas unidades. Para isso, os estados, que são os responsáveis pelos estabelecimentos carcerários, deverão concordar com a presença dos militares.

As ações terão controle total do Ministério da Defesa. “Essa operação visa restaurar a normalidade e os padrões básicos de segurança dos estabelecimentos carcerários brasileiros”, disse.

Inteligência contra o crime

Na reunião com integrantes de áreas de inteligência do governo, também ficou definida a criação de uma comissão para reformar o sistema penitenciário. O grupo terá a participação de integrantes do Executivo, do Judiciário, do Legislativo e da sociedade civil organizada.

Temer reiterou as diretrizes para aumentar a integração dos órgãos no combate ao crime, a exemplo do que foi feito durante os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Além disso, ele determinou uma maior integração com setores de inteligência nos estados.

Um comitê de integração e cooperação na área será composto pelos ministros da Justiça, da Defesa e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).