Prefeito eleito Fábio Gentil está prestes a vencer mais um queda de braço com Humberto Coutinho. 


O prefeito eleito Fábio Gentil(PRB), esteve reunido na manhã desta segunda-feira(28), com alguns vereadores eleitos e reeleitos de Caxias na Associação Comercial para tratar do assunto 'Eleição da presidência da Câmara'. Fontes fidedignas confidenciaram ao titular do blog que FG tem surpreendido até mesmo aqueles que foram contrários a sua candidatura majoritária este ano. Devido a sua desenvoltura em articulação, Gentil já teria 12 vereadores para garantir uma governabilidade mais tranquila aos caxienses que esperam melhorias através de sua administração.

Ao todo 10 vereadores compareceram na reunião que teria sido decisiva na escolha do futuro presidente da câmara municipal indicada pelo cabeludo,(5 novatos 2 reeleitos(as) da situação e mais 3 do seu próprio 'ninho'). Fábio teria ainda conseguido "formalizar" uma garantia de compromisso, onde todos se mostraram dispostos a eleger o vereador Catulé para ser o manda chuva da casa do povo no biênio 2017/18.

Durval Jr e Neto do Sindicato não estiveram presentes para não chamar a atenção, mas o primeiro já recuou e abriu mão da sua candidatura para trilhar, segundo ele, do lado do 'povo' que decidiu pela mudança no executivo caxiense, e claro, podendo fazer parte da mesa diretora como 1º Secretário. Já o segundo citado neste parágrafo teria fechado com o futuro gestor a peso de ouro, ficando assim, indicado a vice na chapa de Catulé, entre outros acordos.

Confirmando essas conjecturas, Humberto Coutinho poderá sentir mais um gosto amargo da derrota, e terá que se contentar em ter uma minoria em torno de apenas 7 seguidores contra 12 de Fábio, correndo o risco de assistir de camarote, a possível desaprovação das contas de seu menino prodígio Leonardo Coutinho, afinal, Catulé não deixará passar nenhuma falha do gestor antecessor, após o resultado dessa disputa pela cadeira principal do legislativo.

PULANDO O BARCO

Na verdade, fica difícil um vereador(a) atender os anseios de seus aliados ou 'cabos eleitorais' durante os 4 anos para se tentar uma reeleição mais folgada. Um vereador sem um prefeito ao lado é como um pinto distante da mãe galinha, assim fica difícil ciscar em busca do velho "milho", isso se não quiserem trocar a palavra no aumentativo...



Fonte e Redação: Jornalista de Política Análio Jr (MTE: 0001413/MA)