O ex-governador do Rio de Janeiro Sergio Cabral (PMDB) deixa o carro da Polícia   Federal no Instituto Médico-Legal (IML), no Rio de Janeiro. Cabral foi preso na manhã de hoje pela Polícia Federal (PF) na Operação Calicute, nova fase da Lava Jato. (Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)O ex-governador do Rio de Janeiro Sergio Cabral (PMDB) deixa o carro da Polícia Federal no Instituto Médico-Legal (IML), no Rio de Janeiro. Cabral foi preso na manhã de hoje pela Polícia Federal (PF) na Operação Calicute, nova fase da Lava Jato. (Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)
Ele vai cumprir prisão preventiva na cadeia Pedrolino Werling de Oliveira. Lanche da tarde é guaraná e pão com manteiga, ou bolo.
17/11/2016 19h46 - Atualizado em 17/11/2016 20h03
Por Nicolás Satriano
Do G1 Rio

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária divulgou, na noite desta quinta-feira (16) detalhes sobre o presídio onde o ex-governador vai cumprir sua prisão preventiva em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Cabral foi preso no início da manhã, sob a suspeita de receber milhões em propina para fechar contratos públicos. Ele é alvo da operação Calicute, da Polícia Federal e Ministério Público Federal que apura desvios em obras do governo estadual. O prejuízo é estimado em mais de R$ 220 milhões.
Cabral deu entrada na Cadeia Pública José Frederico Marques, porta de entrada no sistema e, em seguida, será encaminhado para Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, ambas no Complexo. Cabe ressaltar que a última unidade é destinada a pessoas que possuem nível superior.
Segundo a secretaria, o cardápio de almoço e jantar é composto por:  arroz ou macarrão, feijão, farinha, carne branca ou vermelha (carne, peixe, frango), legumes, salada, sobremesa e refresco. O desjejum é composto por pão com manteiga e café com leite. Já o lanche é um guaraná e pão com manteiga ou bolo. 
"A Seap informa ainda que todos os internos do sistema penitenciário fluminense são tratados de forma igualitária, com direito a banho de sol, refeições e visitas após o cadastramento", disse a pasta, em nota. "Ressaltamos que o tamanho das celas são de acordo com o que determina a Lei de Execuções Penais", acrescentou, sem especificar as dimensões

Fonte: G1