Secretário Adelmo Soares durante explanação em Teresina
Uma comitiva do Governo do Estado representado pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF) esteve em Teresina – PI na última segunda-feira (21). O objetivo foi apresentar o projeto que visa a redução da pobreza nos municípios do Maranhão através da agricultura familiar, para a Junta Executiva do FIDA – Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola. A Junta Executiva é um dos principais órgãos decisórios do FIDA, responsável por aprovar investimentos e novos projetos do FIDA e ainda direcionar o trabalho e intervenções do Fundo.

Além do Maranhão, Estados como Piauí, Bahia, Ceará, Paraíba, Sergipe e Pernambuco estiveram presentes no evento apresentando seus projetos que se encontram em andamento e em estágio de implantação (MA e PE). Todos os projetos têm como foco a redução da pobreza no Nordeste Brasileiro incluindo povos como comunidades tradicionais, jovens, quilombolas, mulheres e indígenas, cada Estado com sua peculiaridade.

Para o secretário Adelmo Soares, momentos como esse significam, cada vez mais, que o Maranhão avança para o desenvolvimento. “Ter a oportunidade de defender o povo do Maranhão quando, em um passado não muito distante, nem se quer era citado é muito gratificante. Pelas outras apresentações pudemos perceber que os outros Estados estão conseguindo transformar a vida de várias famílias e agora será a nossa vez”, disse satisfeito.

De acordo com a apresentação da comitiva do FIDA, uma das linhas de atuação do Fundo para o período de 2016-2021 tem interesse em trabalhar de forma inovadora. A escolha dos locais onde estão sendo desenhados os dois novos projetos (MA e PE) no caso do Maranhão, especificamente, não somente por ser uma área de população pobre, mas também por estar localizado em uma área de transição e proximidade com a floresta amazônica.

O representante do FIDA no Brasil, Hardi Vieira, explicou que a questão da localização do Maranhão contribui para alcançar comunidades longínquas. “É uma oportunidade que o órgão tem de utilizar suas expertises para atender também comunidades indígenas. Embora o FIDA já tenha trabalhado com povos indígenas em outros países, o Maranhão será o primeiro Estado brasileiro que o Fundo desenvolverá essa experiência”, pontuou.

Depois da apresentação dos projetos, representantes dos Estados envolvidos puderam trocar experiências por meio de uma rodada de perguntas e respostas, além de conhecer mais sobre o cenário da pobreza no Nordeste do Brasil através de um estudo apresentado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) que finalizou o encontro.

Fida
No Brasil, o Fida trabalha com foco no semiárido do Nordeste para beneficiar, principalmente, agricultores familiares, assentados e trabalhadores rurais com prioridade a mulheres e jovens. Combater a fome, fortalecer a segurança alimentar nas comunidades rurais, gerando emprego e renda nos municípios maranhenses são algumas atuações do Fida.

No Maranhão o Fida atuará em seis territórios: Baixo Parnaíba, Cocais, Campos e Lagos, Lençóis Maranhense, Médio Mearim e Vale do Itapecuru. Com investimentos de R$ 156 milhões, o projeto beneficiará 790 mil pessoas e 122 comunidades quilombolas. O recurso investido no Maranhão é proveniente da parceria do Governo do Estado e Fida, através da coordenação da SAF.

ASCOM-MA