Câmeras de segurança do estabelecimento filmaram toda a ação dos criminosos em Caxias, MA (Foto: Reprodução/TV Mirante)Câmeras de segurança do estabelecimento filmaram toda a ação dos criminosos em Caxias, MA (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Dupla de assaltantes cometeu a ação criminosa na noite de domingo (27).
Esta é a quarta vez este ano que o posto é alvo da ação de bandidos.

Do G1 MA, com informações da TV Mirante
A Polícia Militar (PM) do município de Caxias, a 360 km de São Luís, está à procura de dois homens que assaltaram um posto de combustível na noite de domingo (27). Segundo a PM, as câmeras de segurança do estabelecimento filmaram toda a ação dos criminosos.
Ainda conforme os policiais, os criminosos chegaram em uma motocicleta e após se passarem por clientes anunciaram o assalto aos frentistas que estavam trabalhando no posto de combustível. Armados, a dupla levou todo o dinheiro que estava no caixa do local.
Esta é a quarta vez este ano que o posto é alvo da ação de bandidos. Até o momento, foram três assaltos consumados e uma tentativa. O gerente do posto, que prefere não se identificar, disse que os bandidos agem sempre da mesma maneira. Chegam em dupla em uma motocicleta e anunciam o assalto.  
O subcomandante do 2° Batalhão da Polícia Militar de Caxias (2º BPM), major Antônio Magalhães, acredita que esse e outros assaltos a postos em Caxias foram cometidos por essa dupla, que foi reconhecida como Carlos Eduardo, de 19 anos, e Rodrigo da Silva de 21. Ainda de acordo com o subcomandante, eles foram presos no ultimo dia 22 por suspeita de tráfico de drogas.
“É o ‘Driguinha’ e o ‘Bodinho’. Nós temos aqui o registro de vários delitos cometidos por eles e presos em flagrante pelas nossas guarnições. O Bodinho desde o seu período de adolescência que tem sido conduzido por práticas de ilícitos penais a delegacia como assaltos a mão armada, porte ilegal de arma de fogo, tentativas de homicídio e agora o registro de assalto aos postos de gasolina. São vários delitos. Eles são um receituário completo do crime, mas por conta da legislação. Hoje nós temos um instituto da audiência de custódia e que lá muitas vezes eles são liberados para responder em liberdade”, revelou o militar.
Fonte: G1 Ma