Prefeito eleito Fábio Gentil encontra alternativa no empresariado para manter o pagamento dia 20 de cada mês, e não dia 10 como prometeu aos caxienses em campanha. 

*PRIMEIRA PROMESSA QUE PODERÁ NÃO SER CUMPRIDA EM 2017

As últimas semanas na cidade mais badalada em relação aos bastidores tem causado alvoroço nos órgãos públicos de Caxias. Na dita "Audiência Pública" promovida pelo Cdl e Sindilojas, causou estranheza para os mais atentos do que poderia estar nas entrelinhas do principal objetivo desse encontro com o prefeito eleito Fábio Gentil(PRB) no Sesc.

No ápice da campanha eleitoral, FG usou em seu discurso e até mesmo no debate promovido pela OAB-Caxias, que o pagamento do funcionalismo público municipal seria rigorosamente em dias e com uma data que animou a todos. Ao invés de 20 de cada mês, o gentiliano prometeu aos caxienses que a data do pagamento em seu governo seria efetuada todo o dia '10' de cada mês, claro que fazendo alusão ao seu partido que obtém esse número como legenda.



Segundo analistas, Fábio após as eleições e junto com sua equipe de transição, viram que pagar os funcionários públicos dia 10 seria impossível, em virtude de não haver caixa suficiente para que o mesmo pudesse cumprir a palavra com seu povo, e que o mesmo teria encontrado nos empresários que comandam no Cdl e Sindilojas uma alternativa de amenizar esta situação.

A alegação segundo líderes empresariais, caso FG faça os pagamentos no dia 10, após essa data, o comercio caxiense iria sofrer uma paralisação na circulação de dinheiro por quase duas semanas de cada mês, prejudicando não só o empresariado, mais também os funcionários de iniciativa privada e todo o comércio informal. Ainda segundo analistas, o cabeludo teria arquitetado um pedido formal para que a data do pagamento seja mantida todo dia 20, com isso teria uma justificativa para toda sociedade que espera o cumprimento de suas promessas feitas em campanha.



Como se diz no adágio popular, "se não pode com o pote, não pega na rudia".

É aguardar para conferir...


Fonte e Redação: Jornalista de Política Análio Jr(MTE: 0001413/MA)