Na segunda-feira (21), o prefeito eleito por Caxias, Fábio Gentil (PRB), atendendo a convite de representantes empresariais e comerciários, esteve reunido com o setor para ouvir as demandas e apresentar medidas emergenciais, que segundo ele, pode fortalecer o comercio local e evitar demissões em tempos de crise. O encontro ocorreu no auditório do SESC-Caxias.

Na plateia, os comerciantes locais e uma instituição denominada “MOVER” de um grupo de empreendedores locais parceiros do SEBRAE. Na ocasião, foi apresentada uma pauta de reivindicações.























Abaixo os pontos reivindicados pelo setor ao próximo gestor municipal.

- Readequação da infraestrutura do centro comercial com a retirada de camelôs em locais impróprios.

- Medidas para impedir a comercialização de produtos piratas principalmente a que está sendo realizada de forma habitual em veículos oriundos de outras cidades.

- Soluções a serem implantadas para resolver a falta de estacionamento no centro comercial.

- Manutenção da data para o pagamento do funcionalismo público municipal no dia 20 de cada mês.

- Projetos a serem executados pela prefeitura para fomentar o comércio local.

- Propostas de investimentos para o funcionamento efetivo do Distrito Industrial. 




O prefeito eleito se comprometeu em apresentar um plano que tem por objetivo dar maior fluidez ao tráfego de carros e motos no centro comercial e organizar os locais de estacionamento. A fiscalização para quem cometer infrações neste sentido também serão intensificadas.

Outra proposta apresentada por Fábio Gentil é a criação de um espaço estilo “shopping popular”, para abrigar todos os setores do comércio varejista, com áreas e serviços que possam atender a demanda consumidor.

Ponto de polêmica, a proposta do prefeito eleito em antecipar para o dia 10 de cada mês o pagamento do funcionalismo público, não foi aceita pela categoria, que teme uma retração da economia local, uma vez que o movimento no comercio estancaria nas semanas subsequentes, o que pode acarretar em demissões.

Com esse posicionamento do setor, Fabio Gentil precisou recuar da ideia e a proposta para a manutenção do 
pagamento do servidor público no dia 20, será formulada oficialmente por CDL e Sindlojas nos próximos dias e entregue à equipe do próximo governo municipal.

Sobre o Distrito Industrial, Fábio Gentil afirmou ter pressa para colocá-lo em funcionamento, tanto que, anunciou que uma equipe do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio virá à Caxias em janeiro para conhecer o local onde deverão se instalar futuras empresas.

A audiência pública durou cerca de duas horas, tempo suficiente para que o setor pudesse fazer suas reivindicações e o próximo gestor municipal apresentar suas propostas, resta agora coloca-las em prática para que tudo não fique apenas de promessa e o comércio de Caxias seja obrigado a ver lojas fecharem as portas e o corte de postos de trabalho, significando centenas de pais de famílias desempregados.



Capital do Leste