A partir de janeiro, Fabio Gentil (PRB), pode assumir a Prefeitura de Caxias com alguns grãos de confiança e muitas sacas de dificuldades. Adversidades essas que passam pela Câmara Municipal, onde o Cabeludo precisa desesperadamente fazer o presidente ou terá que se amiudar diante de uma Câmara oposicionista a partir do ano que vem.

Ainda vereador de mandato, Fabio Gentil sabe que se não tiver apoio da Casa do Povo, dificilmente colocará em prática 100% do seu plano de governo quando assumir a Prefeitura. Ele mesmo é prova viva disso, nos últimos dois anos, usou praticamente todo seu tempo como edil a formular denúncias contra o Palácio da Cidade que outrora fez parte.

Agora, com poucas armas à disposição, ou seja, com poucos vereadores eleitos por suas coligações, Fabio Gentil tem a difícil missão de agrupar colegas de parlamento em torno de seu objetivo, não esquecendo ele que do outro lado, o grupo liderado pelo presidência da Assembleia Estadual, deputado Humberto Coutinho continua sendo maioria no parlamento.

Para não desagradar alinhados futuros aliados, o prefeito eleito ainda não veio a público oficializar apoio a nenhum candidato, porque sabe que uma decisão precipitada, sem antes consultar seus gurus, pode trazer sérios prejuízos.

No entanto, nomes à corrida sucessória para presidência da Câmara é o que não falta, hoje já seriam sete pretensos candidatos e todos a seu modo, fazem articulações em busca de apoio para consolidar suas intenções pelo controle da Casa do Povo.

Lembrando que são 19 integrantes no parlamento local.

Alguns nomes já se anteciparam e costuram alianças, a exemplo de Catulé (PRB), Durval Jr (PSB) e Mário Assunção (PPS), outros já colocaram seus nomes à disposição como Ximenes (PR) e Edilson Martins (PSDB) e alguns correm por foram, mas não podem ser subestimados como Thais Coutinho (PSB) e Jerônimo (PMN).

Dos recém-eleitos, apenas Darlan (PHS), esboçou a vontade de pleitear o cargo, mas, não encontrou solidez no projeto e declaradamente tenderia a apoiar uma futura candidatura de Durval.

Nos bastidores, comenta-se que Fábio Gentil teria cooptado cerca de oito vereadores, mas ninguém confirma isso. O que se sabe, é que acordos estão sendo costurados, mas, alguns ‘valores’ estão acima da oferta e a negociação está emperrada.

De certo, mesmo que boa parte dos novatos pule de lado para garantir uma vaga na municipalidade para seus assemelhados, mesmo assim, Humberto Coutinho ainda tem número suficiente para fazer a presidência da Câmara e tocar seu projeto político em diante