Secretário Adelmo Soares, gestores públicos e agricultores familiares na solenidade de abertura da Agritec.


Pela primeira vez, o território Campos e Lagos, situado na região da Baixada  Maranhense, recebe a Feira da Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritec). O evento começou nesta quinta-feira (27), com a presença de diversas autoridades, entre as quais o secretário de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Adelmo Soares.

O secretário ressaltou que a Agritec contribui com a Baixada Maranhense por meio de investimentos para o desenvolvimento da agricultura familiar. “Esta é a oitava edição da Feira e estamos mostrando que o Governo do Estado está presente na vida do trabalhador rural, melhorando a situação do agricultor familiar através do conhecimento e renda. Precisamos fortalecer a agricultura familiar, como um dos eixos principais desta gestão, e é isso que estamos fazendo, trazendo para a região uma feira de oportunidades”.

Até este sábado (29), a Agritec está oferecendo ao pequeno e médio agricultor familiar acesso a diversos conhecimentos relacionados à produção agrícola, por meio de oficinas, palestras, cursos e comercialização de produtos cultivados por agricultores dos municípios da região. Em parceria com órgãos estaduais, a população local e da região poderá emitir documentos pessoais (CPF e RG), Carteira de Trabalho, emissão de nota fiscal, CAR, entre outros serviços. 

agricultor familiar, Braziliano Teixeira, diz que a Agritec é ótima para expandir a comercialização do abacaxi.


Formado por 12 municípios, o território Campos e Lagos ainda apresenta baixos indicadores sociais e a realização de uma Agritec demonstra a preocupação do Governo do Estado em reverter o quadro de abandono que a região foi submetida ao longo de décadas, principalmente em relação à agricultura familiar.

Para o presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), Júlio César Mendonça, a Agritec é o maior evento voltado para o agricultor familiar que a Baixada Maranhense sedia.  “A região tem muitos desafios e entendemos que a Agritec é um encontro para mostrar as potencialidades, possibilidades e pôr em pauta a agricultura familiar da Baixada”, disse ele, que afirmou, ainda, que a região viveu 40 anos de abandono e tem um momento ímpar desde 2015. “Para a região, que nunca recebeu um evento desta magnitude, o encontro renova as possibilidades de desenvolver a Baixada”.

A agricultora familiar Maria Lúcia Gaspar, do povoado Bahia, em Viana, está comercializando, na feira da Agritec, produtos que cultiva em sua propriedade.  Ela recebe assistência técnica da Agerp. “A gente está muito feliz com essa estrutura e o governador Flávio Dino está trabalhando do nosso lado e vai dar mais forças para o agricultor familiar baixadeiro”.

Na Agritec está sendo comercializado o abacaxi da variedade Turiaçu pelo agricultor familiar Braziliano Teixeira, do município de Santa Inês, que colhe anualmente, cerca de 2 milhões de frutos, entre abacaxi tipo pérola e Turiaçu. “É a primeira vez que participo de uma Agritec e está sendo ótimo para expandir a comercialização do abacaxi. Em Santa Inês somos oito produtores e no município de Turiaçu estamos iniciando nossa produção e acreditamos que o governo está fazendo é bom para o agricultor”, relatou.

Durante a abertura da Agritec, nesta quinta-feira (27), foram entregues dois recibos de inscrição de imóvel rural no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e 18 kits de Feira do Programa ‘Mais Produção’ para o escritório regional da Agerp de Viana. Os kits são compostos por barracas, balanças, caixas de isopor, avental, camisas e bonés padronizados.

Agricultora familiar Maria Lúcia Gaspar disse que está muito feliz com a estrutura da feira.


A Agritec é uma realização do Governo do Estado do Maranhão, por meio do Sistema da Agricultura Familiar, composto pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp) e o Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma). Acontece por meio de parceria com Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Cocais, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Prefeitura municipal de Viana.

Entre os movimentos sociais e entidades representativas dos trabalhadores rurais participantes, o Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), a Associação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Maranhão (Aconeruq), aFederação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar do Maranhão (Fetraf-MA), a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Maranhão (Fetaema) e Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST)


Fonte: Ascom SAF