Mesmo com as parcerias entre o Governo do Estado e município e com um tio Presidente da Alema, Léo Coutinho não consegue fechar com "chave de ouro" o seu mandato. 


Se Caxias já estava "jogada ao Léo" desde 2012 quando Humberto Coutinho iludiu os caxienses após eleger seu sobrinho, imagine nesses dois meses que restam após a derrota do mesmo. A cidade se encontra apreensiva. São obras que estavam em andamento que agora estão paralisadas, sem falar na demissão em massa que LC já conspira contra aqueles que não lhe apoiaram durante a campanha deste ano, tipo uma espécie de VINGANÇA.

A bomba estourou no final da tarde de 20 de outubro, quando o funcionalismo público municipal em boa parte esperavam os seus recebimentos de direito, pelos serviços prestados em diversos Orgãos, como escolas e outros.

Segundo uma fonte, a classe mais atingida com o atraso do pagamento no fim do governo Coutinho é a de zeladores e vigilantes. Ainda de acordo com os denunciantes, alguns professores também não teriam recebido seus salários, demonstrando assim a decadência Coutiniana que propagavam que a prioridade nos seus governos era o pagamento em dias, pelo visto ficou apenas na lembrança.



Vários setores começam a desandar, a cidade se encontra cada vez mais parada e abandonada, e o governo vindouro terá muito trabalho para colocar a casa em ordem, pois o atual, assim como começou, vem terminando o seu mandato "sem eira e nem beira".

Se o prefeito Léo Coutinho, ou seu tio, junto com todo o grupo, estão magoados ou não, por não terem vencido a disputa eleitoral, que pelo menos encerrem essa oligarquia de forma digna, pagando todos os funcionários públicos em dias, pois dinheiro no caixa todos sabem que existe.

Situações como essa só quem perde são os trabalhadores, pais de famílias, e empresários. Atraso nos salários dos funcionários públicos faz com que o dinheiro que já não circulava em Caxias, pare de vez, quanto mais agora com 5 dias de prejuízo no bolso de cada caxiense.

Fonte e Redação: Jornalista de Política Análio Jr (MTE: 0001413/MA)