Resultado de imagem para Mais de quatro mil incêndios são registrados no Maranhão

Dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).
Queimadas já desabrigaram 100 famílias em cinco cidades no MA.

Do G1 MA, com informações da TV Mirante
Muitas cidades do Maranhão estão sofrendo com o aumento das queimadas nesta época do ano e o estado entrou em emergência por causa dos incêndios. Só em outubro, já foram registrados mais de quatro mil, segundo os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).
As queimadas sem controle já desabrigaram, até o momento, 100 famílias em cinco cidades na região leste do Maranhão em menos de uma semana. O município de Caxias, a 360 km de São Luís, é o mais afetado e em virtude disso decretou estado de calamidade pública.
O tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Raimundo Guterrez, afirma que as altas temperaturas nesta época do ano contribuem para o aumento das queimadas. “Qualquer centelha começa uma ignição e como a temperatura está muito alta e a umidade baixa isso é um problema grave”, explicou.
No vilarejo Boca da Mata, situado no município de Governador Luiz Rocha, a 439 km de São Luís, o fogo queimou 40 cabeças de gado, uma criação de porcos e destruiu lavouras. O Corpo de Bombeiros do Maranhão precisou de reforços vindos de São Luís, na capital.
Uma brigada aérea busca água, rios e piscinas, e faz longas viagens para conter as labaredas. Além do calor, ainda venta forte nesta época do ano no Maranhão. Em São Luís, os bombeiros recebem até 25 chamadas por dia e tentam realizar no menor tempo possível as atividades para tentar impedir que o fogo atinja as áreas habitadas.
Após decretar situação de emergência, o governo do Maranhão anunciou o reforço do efetivo dos bombeiros na região Leste do estado.
Queimadas
O Maranhão é o 4º estado brasileiro com o maior número de queimadas, segundo dados do INPE. No Brasil, em 2016 foram registrados 73.946 casos de queimadas e incêndios florestais. Destes, 6.508 aconteceram no Maranhão.
Atualmente, o estado tem 159 municípios em situação de risco crítico, 19 com risco alto e cinco com risco médio de queimadas ou incêndios florestais, atingido Terras Indígenas, Biomas e Áreas Protegidas por legislação ambiental estadual e federal.
Fonte: G1 Ma