Uma pesquisa divulgada na ultima sexta feira (26/08) pela folha de São Paulo, sobre a eficiência dos municípios brasileiros, quando o assunto são recursos para a saúde, educação e saneamento, diz que apenas um entre quatro municípios é eficiente na hora de usar recursos para estas três áreas.

São João do Sóter aparece entre os municípios destaque no índice que leva em conta a receita per capita para medir a eficiência de cada município. Para a Prefeita Luiza Rocha o destaque recebido pelo município de São João do Sóter não é surpresa. “ A pesquisa comprova o que o governo vêm realizando nos último anos realizando, usando o recurso público com responsabilidade e aplicando-o corretamente, sem desviar seu destino de origem”, disse.

Mais do que avaliar a atuação deste ou daquele gestor, a ideia da pesquisa é medir o grau de eficiência das ferramentas oficiais de planejamento no alcance das metas na unidade autônoma da federação que figura como ponta operacional da União aos municípios. A Seleção e o processo de teste das variáveis, especialmente de dados secundários, na composição de um índice, requereu controle criterioso.

Entre as áreas que São João do Sóter aparece como destaque está a Educação, enquanto a média nacional de aplicação das verbas em educação é de 32% em São João do Sóter esta média sobe para 51% ; a média nacional de gasto com o Legislativo é 4% em São João do Sóter é de 3%. Números da pesquisa que chamaram a atenção esta relacionado a crianças entre 4 e 5 anos matriculadas no município, onde 93% estão em sala de aula, e a cobertura por equipe de atenção básica em São João do Sóter em 2013 já era de 100% segundo a pesquisa. 

Outro dado que levou a cidade a estar entre as melhores do país em 2013 é que 72% da população já tinha atendimento de água. Apesar de ter apenas 18 anos de emancipação política, São João do Sóter aparece a frente de muitos municípios mais velhos e maiores como Caxias, Matões, São Luis, Codó, Pinheiro, Balsas, entre outros.

Outros dados
Os números usados pela REM-F foram de 2013. Investimentos aplicados de 2013 até o ano atual não foram usados na pesquisa. A exemplo da área de Educação, que nos últimos dois anos aumentou o atendimento para crianças de 0 a 3 anos, com a entrega de duas creches, somente na zona urbana do município; e quantidade de jovens atendidos pelo “Mais Educação”, que dobrou depois deste período. 

Os últimos investimentos em Saúde também não aparecem na pesquisa, onde nos últimos anos o município ganhou um Hospital e postos de saúde na zona rural.Também não foram analisadas as obras dos últimos dois anos de Saneamento, como construção de meio fio, pavimentação asfáltica ou calçamento de ruas e avenidas da cidade.


Fonte: Capital do Leste