Fábio Gentil foi firme e convincente na entrevista

A entrevista que o candidato a prefeito de Caxias pelo PRB, Fábio Gentil, concedeu na noite desta segunda-feira, 19, à TV Mirante local, foi uma prova inequívoca de que conhece os problemas da cidade e que está preparado para ser o próximo prefeito do município. A entrevista também serviu para deixar bem claro os motivos que fazem o também candidato, Léo Coutinho, a não querer o confronto e se negue a participar de um debate com o seu concorrente. Fábio Gentil foi firme e convincente em todas as respostas feitas a ele pelo apresentador do telejornal da afiliada da Rede Globo.

Com um amplo conhecimento dos problemas de Caxias, Fábio não titubeou em nenhuma pergunta feita pelo apresentador miranteano.

Eu tenho um sonho. O meu sonho é [me] tornar o melhor prefeito da história de Caxias”, disse Fábio Gentil na sua primeira fala da entrevista. Se dirigindo ao telespectador, o candidato do PRB olhou diretamente para a câmera e pediu uma chance aos caxienses: “Claro, com o seu apoio, que me vê nesse momento, que nos escuta nesse momento iremos, com certeza, trabalhar para que a cidade possa alcançar os seus sonhos”.

“Optei pelo povo”

Nem mesmo quando confrontado pelo apresentador da TV Mirante sobre o período que acompanhou o grupo Coutinho (8 anos), Fábio Gentil se saiu mal. “Onde, num comício, certa vez, o senhor ter dito “se não votar no Léo, não precisa votar em mim”. O que mudou? Quem mudou?”, questionou Davi Peres que recebeu uma resposta fulminante do candidato oposicionista: “Pra você conhecer a pessoa, há uma necessidade de você dar [a ela] dinheiro e poder. E eu acreditei. Me iludi com as falsas promessas do atual prefeito. Eu não o conhecia, como o povo de Caxias também não o conhecia”, justificou Fábio acrescentando que, por fazer parte de um grupo político, tinha que ter um candidato a prefeito desse grupo.

Ainda sobre o apoio ao atual prefeito no passado, o candidato do PRB finalizou o assunto explicando os motivos que o levaram a romper com Léo Coutinho. “Quem votou em mim foi o povo de Caxias. Eu não sou obrigado a comungar com a administração 100% errada, onde na sua administração foram centenas de crianças mortas na [Maternidade] Carmosina Coutinho. Eu não poderia ficar calado e isso começou a mudar o direcionamento. Quando ele pegou o poder ele mudou, aliás, ele não mudou, só mostrou o que ele era e eu não conhecia. Essas atitudes de demissão dos funcionários municipais, as mortes das crianças na Carmosina Coutinho, me direcionaram para que eu pudesse ter uma escolha de optar pelo povo e eu optei pelo povo”, esclareceu o candidato da coligação “Caxias é do Povo”.

Tranquilo e sereno, o candidato a prefeito de Caxias respondeu 
a todas as perguntas de forma clara e direta
Indagado sobre sua atuação no período em que é vereador, o entrevistado citou as centenas de requerimentos apresentados e uma das principais atribuições do parlamentar, “fiscalizar o Executivo”. “Um dos últimos [requerimentos] agora em 2016, que é a preservação de todos os riachos, de todas as nascentes na cidade de Caxias. Nós estamos vendo que a questão do riacho do Ponte, que é o que abastece toda a margem esquerda do rio Itapecuru está morrendo, e eu não vejo nenhuma atitude do senhor prefeito municipal pra manutenção dessas nascentes”, disse FG.

Sobre a educação do município: “Vamos valorizar o professor; Vamos implementar o piso nacional da categoria

A Educação de Caxias reprova a atual administração do prefeito Leonardo Coutinho. É inadmissível que no século 21 ainda temos escolas na zona rural que nem banheiro tem. É inadmissível que no século 21 a merenda escolar ainda falte nessas escolas e quando chega, é de péssima qualidade. Transporte de péssima qualidade, sem segurança. Um dos nossos projetos é a valorização do funcionário da educação. Da valorização do professor. Nós iremos fazer com que o professor tenha o piso nacional efetivado na cidade de Caxias, coisa que o prefeito atual prometeu e enganou a população e todos os funcionários da educação de Caxias”.

Sobre a saúde: “a tragédia na Carmosina Coutinho”

A saúde está doente. Na administração do prefeito atual foram centenas de crianças mortas na Carmosina Coutinho. Eu não posso acreditar que alguém, que tenha coração, não sentiu a dor que uma mãe, que passou 9 meses esperando pelo seu filho, comprando os sapatinhos, arrumando o quartinho, fazendo tudo a espera do seu sonho, que é o seu filho, e aí, pela incompetência da administração pública, pela incompetência de como foi conduzido esse processo, foram centenas de crianças mortas, e muitas delas as mães choravam porque não tinham nem onde enterrar seus filhos. Fecharam o Hospital O Dia. Tiraram a urgência e a emergência do Hospital Geral. No nosso plano de governo temos a reabertura desses hospitais. Nós vamos buscar condições e eu tenho certeza que eu vou cuidar para que crianças não continuem morrendo”.

Concurso público e geração de emprego e renda

O atual prefeito mentiu ao povo de Caxias dizendo que faria concurso público logo no início da sua administração e estamos esperando até hoje. E agora, no seu plano de governo, ele já diz que vai fazer. Mas eu afirmo, nós iremos fazer. Eu, eleito prefeito, irei fazer concurso público logo no início da administração, porque é uma necessidade, é uma oportunidade a todos aqueles que terminam o ensino médio, que procuram a faculdade e uma oportunidade de luta. Eu tenho dito: o povo de Caxias precisa de uma oportunidade e nós iremos propiciar essa oportunidade que o povo tanto clama”.

Nas considerações finais, mais um desafio a Léo Coutinho: “proponho o debate no dia e na hora que você quiser”.

Quero falar com você de casa, agradecer a [TV] Mirante pela oportunidade que nos deu de explanar nossas propostas”, iniciou Fábio para logo em seguida fazer um desafio a Léo Coutinho: “Eu quero falar neste momento, em especial ao meu adversário: Léo Coutinho, você fugiu do debate, que esse seria o melhor caminho para o povo entender as melhores propostas e eu estou aqui, fazendo o desafio novamente, proponho o debate, no dia e na hora que você quiser, aonde você quiser. Pode ser até na sua televisão ou na sua rádio. O povo quer respostas de várias indagações que nós temos para com o povo”, provocou Fábio na tela da Mirante para em seguida se dirigir novamente ao telespectador: “Eu quero ser o seu prefeito para que a gente possa reduzir essa mortalidade na Carmosina Coutinho, para que a gente possa gerar emprego. Uma coisa eu posso afirmar: não iremos demitir. Nós iremos sim, fazer concurso público para que você tenha oportunidade. Sendo o seu prefeito, nós iremos gerar emprego e renda. Fazer com que o polo industrial possa funcionar, fazendo com que os hospitais fechados sejam reabertos, fazendo com que as marcações de consulta sejam efetivadas e que não demore 30, 60 dias para acontecer. Eu, sendo o seu prefeito, iremos ter os nossos sonhos realizados. Hoje eu lhe peço, e amanhã eu retribuo. Tenho certeza absoluta que quem vai ganhar é a cidade de Caxias com as oportunidades que teremos”.

Fonte e Redação: Blog do Sabá